Resenhas

RESENHA: Ônix (Saga Lux #2), de Jennifer L. Armentrout.

Saiba minha opinião sobre o segundo volume da série Lux, Ônix.

Livro: Ônix (Saga Lux #2)

Autora: Jennifer L. Armentrout.

Páginas: 406.

Editora: Valentina.

Lido em: 3 dias.

Skoob | Garanta seu exemplar


Sinopse:

Estar conectada a ele é uma droga!
Graças ao seu abracadabra alienígena, Daemon está determinado a provar que o que sente por mim é mais do que um efeito colateral da nossa bizarra conexão. Em vista disso, fui obrigada a dar um “chega pra lá” nele, ainda que ultimamente nossa relação esteja… esquentando.
Algo pior do que os Arum ronda a cidade.
O Departamento de Defesa está aqui. Se eles descobrirem o que o Daemon pode fazer e que nós estamos conectados, vou me ferrar. Ele também. Além disso, tem um garoto novo na escola que, tal como a gente, guarda um segredo. Ele sabe o que aconteceu comigo e pode ajudar, mas, para fazer isso, preciso mentir para o Daemon e ficar longe dele. Como se isso fosse possível!
Até que, de repente, tudo muda.
Vi alguém que não deveria estar vivo. E tenho que contar ao Daemon, mesmo sabendo que ele não vai parar de investigar até descobrir toda a verdade.
Ninguém é o que parece ser. E nem todo mundo irá sobreviver às mentiras.

Em janeiro eu li e publiquei uma resenha sobre o primeiro livro da Saga Lux, Obsidiana. Por algumas semanas, ele ficou sendo minha leitura favorita de 2019, e é claro que, por isso, coloquei uma expectativa alta em cima de sua continuação. Será que esta foi correspondida?

Admito que logo no início, nas primeiras 100 páginas eu diria, pensei que daí viria uma decepção. O primeiro livro, mesmo com aquele quê de apresentação, era super interessante desde seu princípio, dando gás para o leitor seguir a leitura, fazendo com que ele queira terminar o quanto antes. Não senti isso aqui.

Fomos apresentados a um novo personagem misterioso, algumas novas situações confusas, nada realmente intrigante. A implementação de Blake chegou a me trazer um desconforto, na verdade. Porque pensei que assim surgiria mais um triângulo amoroso, o que fadaria a série aos clichês mais desprezíveis do gênero, aqueles que lembram Crepúsculo.

É clara a influência deste, mas até então, Jennifer L. Armentrout estava sendo extremamente superior a Stephenie Meyer ao não se levar a sério e, especialmente, por não ficar com essa palhaçada de triângulo amoroso, que ninguém nunca suportou. Confesso que eu deveria ter confiado um pouco mais no talento da escritora, ela soube usar dessa dúvida para trazer algo interessante, depois de alguns capítulos.

Pois, seguindo a lógica do enredo, era previsível que a ação de Deamon no fim de Obsidiana causaria algum efeito em Katy, e eu gostei do rumo que nos foi apresentado. E das reviravoltas que isso trouxe.

Houve outras coisas previsíveis as quais não citarei por serem spoilers, mas que eu esperava faz tempo, só não imaginava que seria tão logo, no segundo volume. Isso também me agradou, adoro como a autora pega as teorias da conspiração e vai desmembrando-as, ilusionando em cima delas, afinal, quem não curte essas teorias?

Algumas pequenas sementes de dúvida que ela foi soltando no decorrer dos acontecimentos também foram excelentes para manter a atenção do leitor presa ao livro. Eu ia criando algumas teorias comigo mesma durante a leitura e viajava longe na maionese, hahaha.

Embora demore para alavancar, é inegável que o enredo se garante a partir de certo ponto em que as dúvidas vão se esclarecendo. Nada inovador, segue sendo clichê, mas é isso que a série promete mesmo, então eu adorei. Consegui me envolver e sentir as coisas do mesmo modo que nossa narradora, Katy.

Falando nela, acho que ela está um pouco mais irritante nesse volume do que no anterior, por causa de teimosia, orgulho ao não querer assumir os sentimentos, etc. Porém, comparada a outras protagonistas do gênero, a acho ótima. 

Deamon não fica atrás, ele é sarcástico, um tantinho arrogante, mas dá para entender porquê Katy se apaixona por ele, quem não se apaixonaria por esse alien irresistível?

Gosto da química deles e desse romance.

Adoraria que Dee tivesse um pouco mais de espaço nesse livro, pois ela é muito carismática, mas também entendi o motivo dela ficar mais em escanteio. Blake é aquela coisa, né… Foi colocado pra causar o desconforto e responder algumas perguntas, mas achei meio bleh como personagem, não engana. Tomou tempo demais.

 O final é uma bomba atrás da outra, algo eletrizante mesmo, com revelações, combates e até mortes. Eu fiquei chocada com alguns acontecimentos, de verdade. Mesmo no meio de tanto clichê, Jennifer L. Armentrout consegue algumas pontas de originalidade, o que é justamente o fator que torna essa saga tão interessante.

A escrita da autora é direta, fácil e muito gostosa, aquela típica que você lê e nem percebe, quando vê já passou 100 páginas ou mais. Lembra-me um pouco o estilo de escrita de fanfics, mas não as ruins, as que se destacam e, de fato, rendem livros.

Finalizando, não achei que superou o primeiro, mas me entreteve demais, divertiu, chocou… E deixou aquela curiosidade pra continuação, especialmente lembrando daquele final, que enche nossas cabeças de interrogações.

[Meu Skoob para quem quer estar por dentro de minhas próximas leituras]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: