Resenhas

RESENHA: A Prometida (chega de rivalidade feminina)

Resenha do novo livro da Kiera Cass, A Prometida

A minha vontade era fazer um post gigantesco cheio de spoilers falando do tanto de coisa errada que existe nesse livro, mas não faria sentido e não quero estragar a leitura para aqueles que não leram ainda. Porém, vou falar de várias coisas que já foram mostradas no início ou na sinopse e que já pode irritar muitas pessoas.


Quem quiser ler o livro e chegar às próprias conclusões, basta clicar aqui.


Eu queria não comparar A Prometida com A Seleção, mas simplesmente não tem como. A maioria das pessoas que pretende ler o livro novo é porque já leu e gostou de A Seleção, então a comparação é inevitável. A impressão que passa é que Kiera tentou fazer algo diferente dessa vez. Mas calma, vamos em partes.

Vamos pensar em como deveria estar a cabeça da Kiera. Ela sabia que assim que seu livro fosse lançado, milhares de pessoas leriam e sem dúvida alguma as comparações aconteceriam. Tentando evitar que dissessem que A Prometida é uma cópia da série e que ela é uma das muitas autoras de um sucesso só, ela tentou se reinventar. E conseguiu. Porque enquanto A Seleção é muito boa, A Prometida é apenas a história de mais uma menina fútil sem profundidade nenhuma.


Leia A Seleção

Leia A Elite

Leia A Escolha


Muita gente critica A Seleção por ser algo feito para adolescentes. Eu não acho isso uma crítica, é só a definição de um público. Vamos mostrar para as meninas que, mesmo que os outros não acreditem, ela pode subir na vida, conquistar o cara dos sonhos e tentar mudar o mundo. Só que existe uma linha tênue entre fazer isso e criar uma personagem que passa o tempo todo preocupada com vestidos e em como agradar o rei.

Sabe todas aquelas meninas de quem a America e o Maxon tanto falavam? Aquelas que não estavam preocupadas com o rei, mas sim com a coroa. É a Hollis. Simples assim. Ela passa o livro todo comentando sobre os vestidos de outras mulheres, como o reino dela possui uma moda melhor que o outro, como os coroanos são mais habilidosos para moda, danças e etc do que o povo do reino vizinho. Pelo amor de Deus, menina, vai fazer alguma coisa de útil nessa vida.

Algumas pessoas podem argumentar que isso é fruto do local que ela nasceu e da vida que ela levou. Desculpa, mas sou obrigada a discordar. Obviamente, para ela, casar com o rei sempre foi uma opção e todos sabem que uma rainha não pode ser apenas um rostinho bonito. Não se quiser ser uma rainha no mínimo decente. Se esse era o caso, por que ela nunca tentou entender pelo menos o mínimo do país em que ela vivia?

E claro, vamos falar daquilo que está escrito no título do post, rivalidade feminina. Existem vários e vários conflitos que giram em torno de uma personagem feminina se achar melhor que a outra. O livro é praticamente inteiro baseado nisso. Entretanto, todas as brigas que acontecem são deixadas de lado pouquíssimo tempo depois! Se era para isso acontecer, por que todas essas brigas ridículas foram colocadas?

E não podemos esquecer da parte mais ridícula do livro para mim: Nora como dama de companhia. Isso não é muito spoiler, acontece bem no início. Hollis passou uma vida dizendo que era melhor amiga de Delia Grace, que faria tudo por ela, que nunca aceitaria alguém a tratando mal para depois contratar como dama de companhia a menina que mais fazia bullying com Delia Grace. Gente, se fizessem isso comigo, a amizade estava acabada aí.

Hollis usa como argumento que Nora deve ser perdoada, que ela mudou, que será legal, mas ela esquece que não foi ela quem sofreu as provocações a vida inteira, foi Delia Grace. Não era Hollis quem deveria perdoar alguém, Delia Grace sim.

Agora é spoiler, pulem para o próximo parágrafo. Como se já não bastasse tudo isso, descobrimos depois que era tudo uma grande conspiração de Delia Grace. Tudo que ela fez foi morrendo de inveja da suposta melhor amiga.

Já deu disso, por favor. Chega de passar essa imagem de que mulheres não podem ser amigas e que todas estão tentando passar por cima das outras. Existem pessoas assim? Claro, mas não todas. Isso é uma generalização muito grande, errada e nociva para a cabeça das adolescentes – o foco dos livros da Kiera – que vão crescer achando que as amigas estão tentando passar a perna nelas.

Ok, já falei das partes que me irritaram em geral, vamos fazer como eu sempre faço e analisar ponto por ponto do livro.

A escrita foi boa como sempre, mas não vou mentir que foi bem difícil ler esse livro. Era tão chato e com personagens tão rasos que eu não sentia vontade nenhuma de continuar. O triângulo amoroso foi sem sentido nenhum, tanto que Silas só aparece depois de umas 100 páginas e continua sendo um inútil até o final.

Achei que teria algo que envolvesse Silas e Valentina. Cheguei a pensar que o livro tinha alguma salvação quando Valentina tinha uma grande revelação para fazer e decidiu não fazer. Eu já havia criado toda uma história na minha cabeça de que os dois tiveram um caso e que ela estava grávida dele, mas não, nem isso aconteceu.

E o que dizer do final? O final foi perfeito para o livro. Foi um jeito péssimo de encerrar um livro pior ainda. O sentimento que passa é que todo mundo andou e andou para, no final, nada mudar.

Resumindo, não gostei de absolutamente nada no livro. É totalmente dispensável e, sem exageros, um dos piores que li na minha vida. É uma pena, mas ao que parece, a Kiera é realmente uma autora de um sucesso só.


Escrita:

Avaliação: 4 de 5.

Personagens:

Avaliação: 1 de 5.

História:

Avaliação: 1 de 5.

Final:

Avaliação: 1 de 5.

Originalidade:

Avaliação: 2 de 5.

Nota final:

Avaliação: 1.5 de 5.

4 comentários

  1. Adorei a sua resenha! Ainda não li a Seleção, apesar de estar há imenso tempo para ler. Mas adorei a forma como descreveu este livro e a protagonista! Claro que existem inimizades entre mulheres, mas também existem boas amizades! E nós devíamos ajudar-nos mutuamente, e não criar rivalidades estúpidas!!
    Gostei mesmo da resenha e do seu blog 😁

    Beijinhos e boas leituras

    Curtir

  2. Eu amo a série A Seleção e estava com expectativas altíssimas para ler A Prometida, mais não é a primeira resenha que leio falando não tão bem da leitura, rs. Coloquei A Prometida na TBR da maratona literária e to começando a me arrepender rsrs

    Beijos

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: