Tudo sobre

Tudo sobre: Jane Austen [04]

Biografia, curiosidades e bibliografia sobre Jane Austen!

Olá, amigos! Voltando com o Tudo Sobre, porque faz um tempinho que eu não faço e mesmo que seja o quadro mais difícil de fazer, vocês gostam bastante, então vamos investir!

Só lembro vocês de deixarem a curtida aqui embaixo e um comentário respeitoso para compensar o trabalho.

Hoje resolvi trazer uma autora que assim… É muito complexo de se falar sobre ela, pois como ela viveu no século XVIII, as fontes são realmente nebulosas, encontrei informações até mesmo contraditórias entre si na pesquisa, mas balanceei a que parecia mais verídica e trouxe para vocês.

Deixo meu agradecimento especial à Bia, do Bookstagram _sonhos_literarios_, pela sugestão!

Pois bem, vamos conhecer mais de Jane Austen?

Lembrando da nossa divisão: Biografia, curiosidades e bibliografia!


Biografia:

Jane Austen foi uma escritora inglesa nascida em Steventon, Hampshire, no dia 16 de dezembro de 1775. Foi a sétima e última filha de George Austen, o pároco local, parte da nobreza agrária, e de sua esposa, Cassandra. Seu pai trabalhava também como tutor para complementar a renda familiar. Dentre os irmãos de Jane, havia apenas mais uma mulher, nomeada com o mesmo nome da mãe, com quem ela era muito próxima, relação constatada através de cartas preservadas pelo tempo.

Ela e sua irmã foram alunas de um internato localizado em Reading, que pode ter sido uma inspiração para um apresentado no livro Emma. Além disso, essa foi a única educação que ela recebeu, tirando a familiar. Na época em que ela vivia, a educação das mulheres se resumia a questões domésticas e algumas habilidades artísticas, como o piano. No geral, as mulheres eram criadas para encontrarem maridos.

Era de conhecimento geral que o reverendo Austen tinha uma biblioteca enorme e que toda sua família era leitora, incluindo Jane, que encontrou grandes inspirações especialmente em nomes como Fielding, Richardson e Frances Burney. Dizem que Jane Austen sempre teve talento para escrita e recitava seus escritos para a família durante a infância e adolescência. O seu primeiro trabalho reconhecido por pesquisadores é o conto Amor e Amizade, que foi escrito quando a inglesa tinha apenas 14 anos.

Voltando para o tópico maridos, Jane nunca chegou a se casar, ou sequer ser oficialmente cortejada, mas uma fase muito importante de sua vida foi quando ela se encantou pelo sobrinho de uma família amiga chamado Tom Lefroy, um sentimento que foi correspondido. Ambos trocaram muitas cartas, o que era considerado impróprio, mas eles estavam bastante apaixonados e, nessa fase da vida de Jane que surgiu seu primeiro livro: Razão e Sensibilidade, com duas irmãs, Eleanor, a razão, e Marianne, a sensibilidade. Os dois lados do amor, por assim dizer.

Aliás, nessa época, entre 1795 até 1799, ela não só começou a escrita desse romance de estreia como outros três, que se falará mais à frente.

Em 1800 a vida de Jane Austen teve uma mudança drástica. Seu pai decidiu se mudar junto da família para Bath, uma cidade a qual não trazia gosto para a autora. Como ela era solteira e dependia da figura paterna, precisou ir mesmo assim. Há boatos de que nessa época ela chegou a conhecer um rapaz, sendo que eles fizeram promessas até mesmo quanto a um futuro casamento, mas ele morreu antes que pudessem concretizar. Dizem também que em 1802 ela ficou noiva por apenas um dia, tendo a própria findado o compromisso.

Ela conseguiu vender seu original A Abadia de Northanger em 1803, sendo que demorou mais de uma década para a obra enfim ser publicada. Pressupõe-se que foi nesse período (da venda de original) que ela começou a escrita de Os Watson, uma de suas obras inacabadas, tendo abandonado justamente pelo desânimo.

Em 1805, o Reverendo Austen faleceu, deixando a esposa e as duas filhas em uma situação drasticamente precária, dependendo dos irmãos e de uma pequena renda advinda de uma herança que fora atribuída a Cassandra.

Graças à situação familiar, elas se mudaram novamente, estabelecendo-se em Southampton, perto de dois de seus irmãos que trabalhavam na marinha. 4 anos depois da morte do patriarca, elas voltaram a se mudar, ficando em um local perto de Winchester, Hampshire, local onde ela cresceu e onde o irmão, Edward, tinha uma pequena residência na qual poderia mantê-las. Esse período foi muito importante, pois foi quando Jane levou a carreira adiante, revisando e tentando vender Razão e Sensibilidade, que foi publicado em 1810 (ou 1811, não há um consenso). O título foi dividido em três volumes e vendido sob a autoria de “By a Lady”, sem revelar a verdadeira identidade de Jane.

Apenas em 1813 que se prosseguiu a publicação de Orgulho e Preconceito, tendo sido um sucesso de crítica e público, com os críticos julgando ser uma obra muito superior às outras do gênero e com o público difundindo a fama da autora desconhecida.

Atualmente, esse é o maior sucesso da autora, o livro mais conhecido, com mais adaptações e mais admiradores. Nesse tempo, da publicação de Orgulho e Preconceito, que Jane começou a escrever Mansfield Park, que foi publicado em 1814 e se esgotou em questão de 6 meses.

Quem cuidava dos negócios de fato era o irmão de Jane, Henry, que vivia em Londres.

Em 1815, Emma foi apresentada ao mundo em sua primeiríssima edição, mesma fase em que a escritora começou sua última obra, Persuasão, sendo que um ano depois passou a se sentir mal e no início de 1817, quando começou a escrever Sanditon, precisou largar de vez a escrita, alegando que “escrever me parece impossível, com a cabeça cheia de carneiro e doses de ruibarbo”.

Ela morreu no dia 18 de julho de 1817, aos 41 anos, deixando sua herança inteira para a irmã, Cassandra. Na época, seu falecimento fora definido como por causas desconhecidas, hoje em dia acredita-se que foi Doença de Addison (distúrbio em que as glândulas adrenais não produzem hormônios suficientes, causando dores, desidratação, pressão baixa, desequilíbrio, dentre vários outros sintomas).

Como uma grande figura da Inglaterra, ela foi enterrada na Catedral de Winchester, no condado onde cresceu.

A Abadia de Northanger e Persuasão foram preparados por Henry, seu irmão e agente, e publicados pós-morte. Dois museus são dedicados a escritora lá na Inglaterra, um em Bath e outro em Chawton, Hampshire.

Curiosidades:

– A maioria dos livros da Jane foram idealizados com um nome diferente. Razão e Sensibilidade seria Elinor e Marianne. Orgulho e Preconceito seria Primeiras Impressões (o título definitivo foi tirado de uma fala da obra Cecilia, de Fanny Burney). A Abadia de Northanger seria Susan.

– Embora Jane Austen tenha vivido na fase regencial, é perceptível que seus livros tratam mais da época Georgiana na Inglaterra, focando na sociedade rural da época. Nem mesmo temas como a Revolução Industrial foram muito levantados em suas obras. Vale ressaltar que, na literatura, a época georgiana se caracterizou pelo ressurgimento do romance e pela discussão se esse era realmente um gênero literário e de qualidade.

– Dizem que Persuasão foi escrito inspirado no homem que chegou a cortejá-la, mas morreu antes de prosseguir com a intenção.

– O avanço do cortejo de Tom Lefroy à Jane Austen não foi para frente por um simples motivo: Preconceito. Eles se encontraram em cerca de quatro eventos sociais e assim que os pais do rapaz perceberam a aproximação, apressaram-no para ir a Londres, considerando ele muito superior a ela, já que Lefroy era filho de um oficial de exército e Austen, filha de um reverendo.

– Na época em que a autora começou a fazer sucesso, os livros do momento se resumiam à aventura e exploração, mesmo assim seu talento foi reconhecido e destacado na literatura.

– O único registro no quesito aparência de Jane Austen, é um desenho feito por sua irmã, Cassandra, em meados de 1810, sendo que muitas pessoas que a conheceram garantiram que a imagem não correspondia com a figura da moça. Alguns vizinhos garantiam que a escritora tinha bochechas cheias e arredondas, com as maçãs do rosto saliente, uma boa dose de cor na face e uma estatura alta e seca. As imagens que encontramos nas orelhas do livros dela nem mesmo é a original, tendo sido adaptada erroneamente por outro artista, que colocou uma aliança no dedo de Austen, sendo que ela nunca se casou.

Retrato original, desenhado por Cassandra Austen.
Adaptada.

 

– Jane só começou a receber por seu trabalho 5 anos antes de morrer, juntando-se a um time de vários artistas que só foram reconhecidos de verdade no pós-morte.

– Após a morte da autora, em 1816, seus parentes queimaram boa parte das correspondências dela. As que foram salvas, em sua maioria, eram destinada a sua irmã, Cassandra, de quem era muito próxima. Aparentemente, por meio dessa ação a família quis estabelecer a melhor imagem da escritora, que seria alguém dócil e impecável.

– Sua sobrinha, Catherine Hubback, chegou a finalizar a obra Os Watson sob o título The Younger Sister, na metade do século XIX.

– Embora, atualmente, a morte de Austen seja definida como doença de Addison, alguns pesquisadores levantaram a teoria de envenenamento por arsênico. Isso porque estes encontraram três óculos supostamente usados pela autora, e assim se levantaram várias hipóteses, já que todas tinham graus muito distantes, o que seria um tanto improvável, mesmo que a autora tivesse catarata ou qualquer coisa do tipo. Dessa forma que chegaram na conclusão do arsênico, que era comum na água, remédios e até papéis de parede da época. A teoria, embora tenha ganhado força na mídia, não foi confirmada.

– A história de Jane e Tom não só rende discussões de historiadores, mas também adaptações cinematográficas. Em 2007 foi lançado Amor e Inocência, estrelado por Anne Hathaway e James McAvoy, mas não se prendam muito, pois o roteiro é bem distinto da realidade.

– Em 1995 houve uma adaptação de Razão e Sensibilidade roteirizada e estrelada por Emma Thompson, a atriz ganhou um Globo de Ouro pelo trabalho e imitou a autora no discurso de agradecimento.

Bibliografia:

Caso se interesse, convido-o a comprar por meio dos links que deixarei no título de cada livro.

Romances completos:

Razão e Sensibilidade (1811)

Orgulho e Preconceito (1813)

Masfield Park (1814) – RESENHA

Emma (1815)

A Abadia de Northanger (1817) – póstuma.

Persuasão (1818) – póstuma.

Conto:

Lady Susan (1794 – 1805)

Obras inacabadas:

Os Watson (1804)

Sanditon (1817)

Obras de sua juventude:

The Three Sisters (Data de escrita inestimada)

Love and Freindiship (1790) – o erro na ortografia é altamente discutido entre os estudiosos.

Uma Coletânea de Cartas (Data de escrita inestimada)

The History of England (1791)

Catherine, or The Bower (Data de escrita inestimada)

The Beautiful Cassandra (Data de escrita inestimada)

Teatro:

Sir Charles Grandison (Escrita entre 1791/2 e publicada somente em 1980)

5 comentários

  1. Oi, de todos os livros acima eu só consegui ler um, Orgulho e Preconceito, e levei mais de dois anos para concluí-lo, na verdade eu o considerei muito chato. Consegui tirar da lista dos livros inacabados a muito custo. Já os outros eu não li. E como curiosidade, a data de nascimento, 16/12. Também nasci nesse dia.

    Curtir

  2. Eu adoro ela também! E acho que se você conhecer todas as obras dela vai se encantar ainda mais, dá pra sentir a evolução da escrita 🥰

    Curtido por 1 pessoa

  3. Muito obrigada! E eu indico ler Emma, porque é meu segundo favorito, um livro super bem humorado com personagens intrigantes 💕

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: