Resenhas

RESENHA: Um Marido de Faz de Conta (Os Rokesbys #2)

Vamos continuar as resenhas que a coleguinha de blog começa e abandona. A Thai fez resenha aqui no blog de Uma Dama Fora dos Padrões, mas continuou a série no Instagram. Como eu não aceito isso, resolvi fazer uma resenha aqui no blog mesmo.

Sabe aquele livro que você sai contando a história para todo mundo que encontra? Até meu pai já estava me fazendo perguntas sobre os personagens porque queria saber o que aconteceria no final. Eu amei o livro, fiquei realmente intrigada sobre o que aconteceria e precisava comentar com todo mundo. Fazendo as contas agora, acho que falei dele para umas cinco pessoas. E isso em época de quarentena (este post está sendo escrito no início de abril, espero que as coisas já estejam melhores até a publicação).

Uma coisa que sempre gostei muito dos livros da Julia Quinn é o jeito dela de iniciar um livro. Tanto nos Bridgertons quanto nos Rokesbys, ela sempre começa no lugar mais inusitado possível. Nos Bridgertons nem tanto, mas nos Rokesbys, até agora temos um começando no telhado de uma residência e outro com o personagem principal acordando do coma.

Esse tipo de início, ao mesmo tempo que é muito interessante, também é um tanto difícil de fazer. Por um lado, ele prende a atenção do leitor logo no começo da narrativa, mas por outro, o autor precisa de um cuidado maior para explicar como o personagem chegou ali, o que aconteceu antes, o motivo de ele estar ali.

Uma Dama Fora dos Padrões conseguiu deixar todo mundo muito curioso para saber o que aconteceu com Edward. SPOILER! Mostrar que a família recebeu uma carta, depois de ter recebido outra meses antes dizendo que ele estava desaparecido, te fazia questionar se ele estava morto ou não.

A verdade é que eu realmente já acreditava que ele estava vivo. O livro dele já existia e, mesmo que ele acontecesse antes de tudo que aconteceu com Billie, não faria sentido a Julia criar um personagem, fazer com que todo mundo amasse ele (porque é impossível não gostar de Edward Rokesby) para matar logo em seguida. Então meio que já era possível prever que ele estaria vivo, mas era impossível prever o que estava acontecendo com ele.

Até que a gente chega em Um Marido de Faz de Conta e ele está acordando de um coma! Supostamente casado ainda por cima. Foi um tanto chocante. E foi ainda melhor o livro ter começado com o ponto de vista dele porque assim como ele estava confuso, nós também estávamos. As coisas foram fazendo sentido conforme ele foi acordando e as explicações foram chegando.

Devo admitir que senti um pouco de falta das interações entre os irmãos. As minhas partes preferidas dos irmãos Bridgertons são as conversas deles. Como esquecer a cena dos quatro homens da família indo “resgatar” Eloise? Uma Dama Fora dos Padrões também tem um pouco disso com George e Andrew, mas Um Marido de Faz de Conta não tem nada. Eles estão na guerra, eu sei, mas senti falta mesmo assim. É o tipo de cena de Julia Quinn que todo mundo gosta de ler.

Outro ponto negativo na minha opinião foi que não chegamos a descobrir exatamente o que aconteceu com Thomas. Tudo bem que eles estavam na guerra, as pessoas morrem e às vezes ninguém fica sabendo, mas dane-se! Gostei demais daquele personagem para ninguém me explicar como exatamente ele morreu.

Demorei um pouco mais do que pretendia para ler este livro, é verdade, mas a escrita é tão fluida e a história tão intrigante que é possível ler, tranquilamente, em um final de semana. O vocabulário de Julia Quinn, mesmo se tratando de romances de época, não é nada complicado. Uma vez ou outra surge alguma expressão mais diferente, mas nada que dificulte entender o sentido.

Os personagens também são bem carismáticos. Basicamente, a história gira em torno de Edward, Cecilia e Thomas. Os outros não fazem tanta diferença visto que nem aparecem muito. Os três principais são simplesmente perfeitos.

Edward provou mais de uma vez que é uma pessoa realmente muito boa. Não é qualquer pessoa que perdoaria uma mentira tão grave daquelas e ainda confortaria a pessoa em um momento de luto. E quero ainda deixar eternizada a bronca que ele deu em seu superior do exército por conta da forma que Cecilia estava sendo tratada.

Cecilia tomou muitas decisões erradas, mas sempre tentando acertar. É verdade que existe aquela velha expressão, de boas intenções o inferno está cheio, mas é importante analisar  a situação em que ela se encontrava: o pai morto, o irmão desaparecido e um primo que apenas queria tirar vantagem da situação e que foi capaz de bater nela (pensem como seria o casamento).

E claro, temos Thomas. Mesmo não sendo possível conhecer muito da personalidade dele, o pouco que temos, na minha opinião, já serve para termos uma ideia. Uma pessoa muito mais esperta do que parecia e que, mesmo em uma sociedade machista onde a única coisa que os irmãos mais velhos queriam era se livrar das irmãs, ele ainda assim se preocupava com a dele. Em sua carta de despedida, ele podia ter pedido diversas coisas, mas a única coisa que ele quis era garantir que sua irmã fosse protegida.

O final, para mim, também foi excelente. Achei o Edward meio tanso de ir atrás de Cecilia? Talvez. Mas é um romance de época e esse tipo de coisa acontece nos livros, então eu que lute. Amo os barracos de Edward. Na verdade, amo qualquer barraco de romance de época porque são aquelas discussões onde você não pode xingar a outra pessoa, então deve apelar para o deboche. E claro que na discussão de Edward, Cecilia e Srta. Finch, deboche simplesmente não poderia faltar.

Foi engraçado perceber o desespero de Edward para entrar no navio, principalmente quando ele se dá conta de que nem trouxe roupas para uma viagem de quase um mês. Mas novamente, é um romance de época, então a gente ignora que ele chegou em casa super fedido.

Resumindo, gostei muito do livro. Comprei ele mês passado e tive que encaixar nas leituras desse mês porque não aguentava mais esperar. Logo leio o livro do Andrew e trago a resenha aqui para vocês.

um comentário

  1. Ahh, adoro os livros da Julia. Ainda não consegui ler essa série mas a cada comentário fico com mais vontade ainda. Sua resenha me deixou ainda mais instigada, principalmente pelo primeiro livro, que é quando o personagem é apresentado.

    Parabéns pela resenha! Beijo!!

    https://www.amorpelaspaginas.com/

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: