Resenhas

RESENHA: Prometida (Perdida #4), de Carina Rissi.

Saiba minha opinião sobre o quarto livro da série Perdida, Prometida.

Livro: Prometida (Perdida #4)

Autora: Carina Rissi.

Páginas: 476.

Editora: Verus.

Lido em: 3 dias.

Skoob| Garanta seu Exemplar


Sinopse:

Elisa Clarke anda um pouco entediada. Seus dias parecem iguais e os bailes há muito deixaram de trazer algum prazer a ela. Não que seja uma surpresa, pois sempre que ela está presente os eventos se tornam um desastre! E é injusto, já que ela foi uma boa moça a vida toda. Nascida em uma das famílias mais influentes, a jovem aprendeu desde pequena a respeitar as normas sociais e se manter longe de escândalos. Na única vez em que ignorou uma dessas regras acabou noiva. E foi apenas um beijo, ora bolas!

Um beijo com o qual Elisa fantasiou desde que conheceu e se apaixonou irrevogavelmente pelo belo e gentil jovem médico e que, como acontece nos contos de fadas, mudou sua vida para sempre. Mas não da maneira que ela esperava. Como consequência, agora está prometida a alguém que a despreza tanto que preferiu viver em outro continente. Tudo o que ela deseja é que as coisas permaneçam assim.

Mas Elisa não sabe que seu noivo está a caminho do Brasil, e ela terá de enfrentar o homem cujo coração um dia se viu forçada a partir.
Destinados a ficar juntos, mas separados por seus corações, eles se envolverão em uma sinuosa dança marcada por segredos, mágoas do passado, intrigas e uma arrebatadora paixão que colocará em perigo não apenas seus sentimentos, mas a vida de ambos.

Eu não sabia muito bem o que esperar desse livro. Há pessoas que adoram, minha amiga Laura já tinha me dito que foi um dos livros da série que mais gostou, mas outras dizem ter achado o drama um tanto desnecessário.

Agora eu li e lhes adianto, gostei. O problema que vi não foi nem quanto ao drama, foi quanto a lassidão no início do enredo. Demorou demais pra desenrolar, eu mal via a hora de terminar a meta do dia e olha que a escrita da Carina segue sendo o ponto mais alto de suas obras: extremamente fluida. Porém, de fato demorou para as coisas se mostrarem, e aqui ressalto o maior defeito da Carina: a encheção de linguiça. Esse livro podia ter umas 100 páginas a menos, tranquilamente. Como todos os outros livros dela que li.

Outra coisa que me incomodou: ficar misturando primeira com terceira pessoa. Deus, como isso me irrita! Ou você faz tudo em terceira pessoa, ou faz em primeira. Essa coisa de ficar misturando deixa o enredo muito zoneado, não gosto e acho desleixo por parte da autora.

Mas enfim, voltando para o tópico lassidão, depois que a fase de flashbacks termina e nós entramos nos acontecimentos principais de Prometida, aí sim o livro fica bom. Eu lia, lia, lia e não conseguia parar! Só queria saber mais e mais de Elisa e Lucas.

Elisa está mudada, no início eu me incomodei bastante, pois me pareceu que ela tinha mudado da água pro vinho, mas após todas as explicações, percebi que era só um amadurecimento um tanto amargurado, mas que lá no fundo ela ainda era aquela menina doce que a gente acompanhou desde o primeiro livro.

E quanto às reclamações do drama, eu o achei bem aceitável. Afinal, a aflição de Elisa tinha total sentido, ela queria proteger sua família em uma época que qualquer coisinha já causava a ira da sociedade e da igreja (porque sim, a igreja ainda tinha grande influência na época, especialmente no Brasil). Ela inventou a primeira desculpa que veio à cabeça e isso encarregou grandes e infelizes consequências, como muitas das mentiras que, tenho certeza, vocês também já inventaram. Todo mundo já inventou uma mentira que acabou pesando nos resultados. E quando se trata de família (seja de sangue ou não), a gente faz qualquer coisa pra proteger mesmo. Eu não pensaria duas vezes na hora de perder um macho se for pra proteger minhas duas primas, que são quase filhas pra mim, mesmo que eu nem tenha idade pra ser mãe delas.

Enfim, consegui compreender o lado da mocinha, assim como do mocinho. Homens são movidos pelo orgulho até hoje, imagine nos séculos passados? É óbvio que ele seria um idiota! Mas Lucas também tem várias qualidades, então não o achei tão abominável.

Eu acho que ter deixado, novamente, a comédia de lado, foi mais um acerto da escritora. Não julgo as cenas de comédia escritas por Carina Rissi minimamente engraçadas ou naturais, enquanto as de drama convencem e comovem.

Ou melhor, isso até certo ponto, porque eu achei o final de Prometida tão mil e uma coisas jogadas nas últimas 50 páginas, sendo que o livro tem 476! O segredo que move toda a trama é revelado nas últimas 5 páginas e de uma forma tremendamente superficial. Parece que no final a Carina perdeu totalmente o foco de onde estava e para onde ia, foi jogando um monte de tramas juntas e você que lute pra se lembrar de todas e compreendê-las.

E a coisa que mais me incomodou no livro inteiro: Trocar roubo e furto! (dramas de quem sabe um pouco de Direito) Deus do céu, já li uns 5 livros nos últimos tempos que trocam as definições e eu, como estudante de direito insuportável que sou, sempre preciso de uma pausa pra respirar fundo e, depois de superar um pouco, retomar a leitura. Pesquisa um monte de medicina e não me faz a justiça de tipificar o crime de forma correta! 😫 sofro.

Terminando essa resenha, o livro pode se resumir em: início ruim, meio excelente e fim parecendo que tá no início. Eu realmente achei que esse livro iria superar Destinado no quesito gosto pessoal, pensei que seria o livro da Carina que, para mim, mais se aproximaria das 5 estrelas. Mas como já disse minha amiga Laura, dar 5 estrelas pra Carina Rissi é eufemismo. Então fica com 3, pela parte do início do casamento da Elisa até começar com aquela melação de cueca de anulação. A partir daí é colina abaixo.

3 estrelas

E para finalizar de vez, lembremos que furto acontece quando não há emprego de violência ou grave ameaça, é aquele crime típico de quando você está numa multidão e alguém pega algo na sua bolsa. Já o roubo, é o contrário, é o assalto a mão armada, ou com puxões, empurrões, ofensas… Enfim, um furto também pode se tornar um roubo caso a vítima perceba, aí seria tipificado como roubo impróprio (que não era o caso do livro! É um furto indiscutível). É isto, espero aumentar um pouquinho do conhecimento de quem não sabia.

E quem for escrever um livro, não esqueça, por favor! 

[Meu Skoob para quem quer estar por dentro de minhas próximas leituras]

5 comentários

  1. Hahaha, eu gostei bastante de Destinado, foi o único que se destacou pra mim da série.
    Porém é sempre bom lembrar que cada um tem seu gosto também ❤️

    Curtido por 1 pessoa

  2. Então, adoro a escrita da Carina, mas tenho recenho de ler séries e não gostar dos demais livros, sinto que as coisas começam a desandar em algum ponto. kkk
    É complicado, mas acho que minha curiosidade vai acabar vencendo e eu vou ler sim kk. Obrigada pela dica, adorei o seu blog. ❤

    Curtir

  3. Obrigada!! ❤️
    Acho que se vc gosta da escrita da Carina, vale arriscar ler o restante da série, ela consegue se reinventar em alguns pontos.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: