Listas

Livros para quem não gosta de ler – separados por gêneros literários

Todos sabem da importância dos livros na vida das pessoas, mas muitas pessoas não possuem o hábito e, na maioria das vezes, dão sempre a mesma desculpa: nunca achei um livro que me interessasse. A verdade é que a pessoa que diz isso nunca tentou encontrar algo que a agradasse ou leu coisas muito avançadas.

Culpo muito a escola por isso já que ao invés de estimular a leitura desde a infância, acabam jogando O Cortiço nas crianças. Claro que a leitura clássica é importante, mas não é desse jeito que se apresenta os livros. Mas enfim, já falei mais sobre isso em outro post (clique aqui).

Nessa lista, escolhi apenas livros que são bem tranquilos de ler e que possuem uma história interessante. Separei tudo por gêneros porque acredito que assim, encontrar os livros se torna uma tarefa mais fácil. Sei que alguns gêneros estão faltando, mas são aqueles que não leio muito e que não tive confiança para coloca-los aqui. Talvez um dia, em uma parte dois.

Além disso, não expliquei muito sobre cada gênero porque pretendo fazer um post explicando o que é cada um. Quando fui fazer a pesquisa para esse post, fiquei realmente surpresa com a imensa quantidade que existe e acredito que será útil fazer uma explicação melhor.

1.0 Não-Ficção

1.1 Desenvolvimento pessoal – Me Poupe!

Nathalia Arcuri é criadora do Me Poupe!, maior canal de finanças do mundo no YouTube. “Os fãs do canal Me Poupe! não vão se decepcionar. Nathalia Arcuri venceu o desafio de levar para o papel a linguagem que se tornou sua marca registrada, o que deve fidelizar multidões e reforçar o propósito de seu trabalho. Você tem em mãos um instrumento de transformação. Leia-o com sabedoria e coloque em prática o que encontrar aqui. Sua vida será outra, certamente mais rica, depois desta leitura.” – Gustavo Cerbasi Como economizar no dia a dia? Como poupar mesmo ganhando pouco? Quais são os melhores (e os piores) investimentos? Como poupar para o futuro sem abrir mão dos desejos e necessidades do presente? Sei que você tem muitas dúvidas sobre o que fazer com o seu dinheiro. Sei também que muita gente simplesmente não faz nada com ele – a não ser pagar contas e juntar moedinhas para chegar até o fim do mês. É por isso que estou aqui. Sempre fui uma poupadora compulsiva. Desde cedo compreendi que precisaria juntar dinheiro para realizar meus sonhos. Aos 7 anos comecei a poupar para comprar um carro quando fizesse 18. Com 23 comprei meu primeiro apartamento à vista. Aos 30 pedi demissão do meu emprego de repórter de TV e montei o canal Me Poupe!, no YouTube. Aos 32 me tornei milionária. Hoje o Me Poupe! tem mais de 1,5 milhão de inscritos e é visto por mais de 8 milhões de pessoas por mês, sendo pioneiro na criação do conceito de entretenimento financeiro ao falar de dinheiro com leveza e bom humor. Tenho orgulho de dizer que, aos 35 anos, estou perto de conquistar minha independência financeira. Vou contar para você como cheguei até aqui, as roubadas em que me meti, as dúvidas que tive e tudo o que aprendi ao longo desses anos. Mas este livro não é sobre mim. É sobre você, o seu dinheiro e a maneira como vem lidando com ele até agora. Eu resolvi escrevê-lo para passar uma mensagem curta e grossa: você pode sair do buraco, não importa qual o tamanho dele. Para ajudar nesse processo, reuni exemplos práticos, situações reais, planilhas e exercícios, e organizei tudo isso em 10 passos simples para nunca mais faltar dinheiro no seu bolso. A partir dessas dicas, você vai aprender a dar um basta nos hábitos que sabotam sua saúde financeira, a identificar as crenças que impedem seu enriquecimento e a encontrar modalidades de investimento que caibam na sua realidade. E o melhor: vai descobrir um mundo maravilhoso em que o dinheiro trabalha para você, e não você para ele. Mas talvez a minha dica mais importante seja: poupar não é só acumular um monte de dinheiro. Poupar tem a ver com realizar sonhos. É necessário ter foco, estabelecer prioridades e até abrir mão de uma ou outra coisa em nome de um objetivo maior. Eu poupo desde criança porque tenho metas e propósitos. E essas metas e propósitos têm a ver com pessoas e com experiências, porque, afinal, viver não é correr atrás de grana. A vida vale pelas experiências que o dinheiro nos proporciona, pelos encontros que temos pelo caminho e pela alegria de estarmos vivos todos os dias. Nathalia Arcuri

Esse está longe de ser o gênero preferido dos leitores aqui do blog, mas decidi colocá-lo porque sei que muitas pessoas gostam. O problema é que é difícil encontrar um livro tranquilo. Os mais famosos como O Poder do Hábito ou O Milagre da Manhã, mesmo sendo muito bons, não são muito tranquilos para aquelas pessoas que não possuem costume de leitura. Por isso, escolhi o livro da Nathalia Arcuri por se tratar de um assunto muito importante (economia) e ser algo extremamente simples de ler. Para qualquer um que não goste de ficção e que quer algo simples, este livro é o mais indicado.

2.0 Ficção

2.1 Aventura – Percy Jackson

Primeiro volume da saga Percy Jackson e os olimpianos, O ladrão de raios esteve entre os primeiros lugares na lista das séries mais vendidas do The New York Times . O autor conjuga lendas da mitologia grega com aventuras no século XXI. Nelas, os deuses do Olimpo continuam vivos, ainda se apaixonam por mortais e geram filhos metade deuses, metade humanos, como os heróis da Grécia antiga. Marcados pelo destino, eles dificilmente passam da adolescência. Poucos conseguem descobrir sua identidade.O garoto-problema Percy Jackson é um deles. Tem experiências estranhas em que deuses e monstros mitológicos parecem saltar das páginas dos livros direto para a sua vida. Pior que isso: algumas dessas criaturas estão bastante irritadas. Um artefato precioso foi roubado do Monte Olimpo e Percy é o principal suspeito. Para restaurar a paz, ele e seus amigos – jovens heróis modernos – terão de fazer mais do que capturar o verdadeiro ladrão: precisam elucidar uma traição mais ameaçadora que fúria dos deuses.

Não é atoa que esse foi a série que iniciou muitas pessoas na leitura. Eu fui uma delas e lembro muito bem do quanto eu amava essa série. Fora que foi muito útil quando começamos a aprender mitologia grega na escola.

2.2 Chick-lit – Mais que Amigos

Será que vale a pena arriscar uma grande amizade em troca de um amor inesquecível? Aos vinte e dois anos, a jovem Parker Blanton leva a vida que sempre sonhou. Tem um namorado inteligente e responsável, um emprego promissor e a companhia de seu melhor amigo, Ben Olsen, com quem divide um lindo apartamento. Parker e Ben são tão grudados que muita gente duvida que eles morem sob o mesmo teto sem nunca ter vivido um caso, mas eles não se importam com o que as pessoas pensam. Sabem que não foram feitos um para o outro ― pelo menos não para se envolver. Por isso, quando um acontecimento inesperado faz com que Parker se veja sem namorado e com o coração partido, ela sabe que pode contar com Ben para ajudá-la a sacudir a poeira e partir para outra. Afinal, ninguém seria mais ideal do que seu melhor amigo para lhe mostrar os prazeres da vida de solteiro… certo? Mais que amigos é uma comédia romântica irresistível!

Para quem goste de assistir comédias românticas bem clichês, esse livro é perfeito. É super tranquilo de ler e dá para ser feito em uma tarde. A história prende bem e você fica constantemente querendo saber quando Parker e Ben vão finalmente ficar juntos.

2.3 Clássicos – O Pequeno Príncipe

Publicado pela primeira vez em 1942 nos Estados Unidos e, três anos mais tarde, na França, O pequeno príncipe tornou-se obra de apelo universal, um clássico moderno traduzido para mais de oitenta idiomas. Suas páginas abrigam valiosas lições sobre a solidão, a amizade, o tempo, a vida e a morte, compartilhadas conosco por meio do pequeno habitante do asteroide B 612. Apesar de escrito e narrado por um adulto, O pequeno príncipe se dirige, desde suas primeiras linhas, às crianças. É, na verdade, uma ode à infância, uma delicada viagem a esse planeta que aos poucos abandonamos, vivendo em prol das nossas vaidades, vícios, obrigações, números e demais coisas “sérias e importantes”. Deixe-se conquistar pela fábula atemporal de Antoine de Saint-Exupéry e acompanhe o pequeno príncipe em sua jornada rumo ao nosso planeta. Lembre-se apenas de fechar um pouco os olhos e abrir bem o coração. Pois o essencial, como nos têm ensinado o pequeno príncipe e sua amiga raposa, por mais de setenta anos, é invisível aos olhos.

Eu sei que existem muitos e muitos clássicos, mas não se esqueçam que este post serve principalmente para aqueles que não gostam de ler. Por esse motivo, não coloquei Romeu e Julieta ou O Ateneu, por exemplo, visto que são livros um pouco mais complexos e que seriam bem mais complicados de ler. O Pequeno Príncipe é tão simplificado e com tantas morais e ensinamentos que chega a ser até mesmo considerado infantil.

2.4 Drama – Inalcançável

Tessa e Josh tiveram uma criação deveras diferente. Ela, filha de marquês, uma dama, recebendo toda educação e erudição permitida a uma mulher em sua posição. Ele, fruto da revolução industrial, entregando-se para o exército depois de completada a maioridade, foi agraciado com o título de conde após levar um tiro no joelho e, ainda assim, garantir vitória britânica em batalha. Mas depois de um noivado arranjado em acordo entre o Josh e James, irmão de Tessa e Marquês de Hamilton, os dois têm o seus caminhos cruzados da forma mais íntima e sublime. Seu casamento seguiria perfeito se Josh não tivesse sido chamado de volta para o exército, depois da morte do general Moore, sendo obrigado a deixar a esposa segura, na casa do irmão. Tessa se vê absolutamente perdida, sem o marido, longe de sua casa, mas, no fim das contas, a pergunta que mais afligia seu coração era: Josh conseguiria, algum dia, voltar aos seus braços?

Não estou puxando saco da coleguinha, podem parar hahaha. A verdade é que o livro, mesmo sendo longo, tem uma linguagem tranquila e a história é muito boa. Quando li, estava em uma época em que eu queria ler umas 10 páginas por dia apenas para não perder o hábito e esse foi o único livro que me permitiu fazer isso.

2.5 Lad-lit – Com Amor, Simon

Com nova capa e novo título, a apaixonante história de Simon que conquistou milhares de leitores com uma trama que trata com naturalidade e bom humor a afirmação e os dilemas de um adolescente gay.Agora, a adaptação do romance chega às telas de cinema com Nick Robinson, de Jurassic World , no papel de Simon, e Katherine Langford, protagonista de 13 Reasons Why . Simon Spier tem dezesseis anos e é gay, mas não conversa sobre isso com ninguém. Ele não vê problemas em sua orientação sexual, mas rejeita a ideia de ter que ficar dando explicação para as pessoas — afinal, por que só os gays têm que se apresentar ao mundo? Enquanto troca e-mails com um garoto misterioso que se identifica como Blue, Simon vai ter que enfrentar, além de suas dúvidas e inseguranças, uma chantagem inesperada.

Achei logal colocar esse gênero aqui porque é um que eu não costumo ler, não porque eu não gosto, mas sim porque não existem muitas opções. Esse aqui me encantou muito mesmo não sendo tão parecido com o filme.

2.6 Literatura Fantástica

2.6.1 Distopia – Divergente

Uma escolha pode te transformar. Nesta versão futurista da cidade de Chicago, a sociedade se divide em cinco facções dedicadas ao cultivo de uma virtude – a Abnegação, a Amizade, a Audácia, a Franqueza e a Erudição. Aos dezesseis anos, numa grande cerimônia de iniciação, os jovens são submetidos a um teste de aptidão e devem escolher a que grupo querem se unir para passar o resto de suas vidas. Para Beatrice, a difícil decisão é entre ficar com sua família ou ser quem ela realmente é – não pode ter os dois. Então, faz uma escolha que surpreende a todos, inclusive a ela mesma. Durante a iniciação altamente competitiva que se segue, Beatrice muda seu nome para Tris e se esforça para decidir quem são realmente seus amigos – e onde se encaixa na sua nova vida um romance com um rapaz fascinante, porém perturbador. Mas Tris também tem um segredo, que mantém escondido de todos, pois poderia significar sua morte. Ao descobrir um conflito crescente que ameaça destruir sua sociedade aparentemente perfeita, ela também aprende que seu segredo pode ajudá-la a salvar aqueles que ama… ou destruí-la. A autora estreante Veronica Roth explodiu na cena literária com o primeiro livro da série DIVERGENTE – uma distopia cheia de decisões eletrizantes, traições devastadoras, consequências espetaculares e um romance inesperado. A bem-sucedida trilogia de Veronica Roth é um best-seller da Veja. Em 2014 foi adaptado para o cinema, protagonizado por Shailene Woodley e Theo James.

Aqui foi difícil escolher entre Divergente, Jogos Vorazes e A Seleção, mas acho que Divergente combina mais com essa lista. A Seleção é mais um romance, a parte da distopia aparece mais a partir da metade do segundo livro, então talvez não agradasse muitas pessoas mesmo sendo três livros muito gostosos de ler. Já Jogos Vorazes é uma história um pouco mais pesada e com muitas mortes, coisa que, novamente, pode não agradar todo mundo.

Divergente, por outro lado, é uma distopia do começo ao fim e não é muito pesada. Indico para qualquer pessoa que goste desse gênero e indico também o filme!

2.6.2 Fantasia – Harry Potter

Harry Potter é um garoto cujos pais, feiticeiros, foram assassinados por um poderosíssimo bruxo quando ele ainda era um bebê. Ele foi levado, então, para a casa dos tios que nada tinham a ver com o sobrenatural. Pelo contrário. Até os 10 anos, Harry foi uma espécie de gata borralheira: maltratado pelos tios, herdava roupas velhas do primo gorducho, tinha óculos remendados e era tratado como um estorvo. No dia de seu aniversário de 11 anos, entretanto, ele parece deslizar por um buraco sem fundo, como o de Alice no país das maravilhas, que o conduz a um mundo mágico. Descobre sua verdadeira história e seu destino: ser um aprendiz de feiticeiro até o dia em que terá que enfrentar a pior força do mal, o homem que assassinou seus pais. O menino de olhos verde, magricela e desengonçado, tão habituado à rejeição, descobre, também, que é um herói no universo dos magos. Potter fica sabendo que é a única pessoa a ter sobrevivido a um ataque do tal bruxo do mal e essa é a causa da marca em forma de raio que ele carrega na testa. Ele não é um garoto qualquer, ele sequer é um feiticeiro qualquer ele é Harry Potter, símbolo de poder, resistência e um líder natural entre os sobrenaturais. A fábula, recheada de fantasmas, paredes que falam, caldeirões, sapos, unicórnios, dragões e gigantes, não é, entretanto, apenas um passatempo.

Caramba, o que falar de Harry Potter? É uma saga tão boa que está na minha lista de releitura. Como já fiz uma resenha da saga completa, não vou debater muito, só digo que é minha série preferida.

2.6.3 Ficção científica – Warcross

PARA OS MILHÕES QUE SE CONECTAM TODOS OS DIAS, WARCROSS NÃO É APENAS UM JOGO – É UM MODO DE VIDA. Não é diferente para a hacker adolescente Emika Chen, que para se sustentar trabalha como caçadora de recompensas e rastreia jogadores que apostaram ilegalmente no jogo. Mas o mundo da caça de recompensas é competitivo, e a sobrevivência não tem sido fácil. Precisando de dinheiro rapidamente, Emika se arrisca e invade o jogo de abertura do Campeonato Internacional de Warcross… e acaba entrando acidentalmente no jogo em si e se tornando uma sensação da noite para o dia. Convencida de que vai ser presa, Emika fica surpresa quando recebe uma ligação do criador do jogo, o elusivo e jovem bilionário Hideo Tanaka, com uma proposta irresistível. Ele precisa de um espião dentro do torneio daquele ano para descobrir um problema de segurança… e quer que Emika faça o serviço. Mas logo ela descobre um plano sinistro, com consequências sérias para todo o império de Warcross. Nesta aventura de ficção científica, Marie Lu, a autora bestseller do New York Times, dá vida a um mundo envolvente e contagiante em que escolher em quem confiar pode ser a maior aposta de todas.

Esse livro é um pouco misturado com uma distopia, principalmente o segundo, mas combina mais com ficção cientifica mesmo. O que eu mais gosto da duologia é que mostra as partes boas e ruins da tecnologia. Principalmente o primeiro livro me lembra muito de Black Mirror, já que no começo você quer viver no mundo de Warcross, mas conforme a história vai se desenrolando, você torce para que isso não aconteça de jeito nenhum!

2.6.4 Sobrenatural – Instrumentos Mortais

O primeiro volume da série best-seller Os Instrumentos Mortais, de Cassandra Clare Depois ser apresentada ao Mundo de Sombras e a Jace ― um Caçador que tem a aparência de um anjo, mas a língua tão afiada quanto Lúcifer ―, Clary Fray só queria que sua vida voltasse ao normal. Mas o que é “normal” quando você é uma Caçadora de Sombras assassina de demônios, sua mãe está em um coma magicamente induzido e você de repente descobre que criaturas como lobisomens, vampiros e fadas realmente existem? Para complicar ainda mais, alguém na cidade de Nova York está matando jovens do Submundo. Quando o segundo dos Instrumentos Mortais, a Espada da Alma, é roubada, a aterrorizante Inquisidora chega ao Instituto para investigar ― e suas suspeitas caem diretamente sobre Jace. Como Clary pode impedir os planos malignos de Valentim se Jace está disposto a trair tudo aquilo em que acredita para ajudar o pai? Nessa sequência de tirar o fôlego da série Os Instrumentos Mortais, Cassandra Clare atrai os leitores de volta para o lado mais obscuro do submundo de Nova York, onde amar nunca é seguro e o poder se torna a mais mortal das tentações.

Antes de qualquer coisa, vamos explicar o que seria esse gênero. Sobrenatural não é algo que necessariamente dá medo. Pode acontecer, mas medo é característica de livros de terror. Os livros sobrenaturais são aqueles que apresentam criaturas sobrenaturais como vampiros, lobisomens, sereias, fadas, etc. Assim, escolhi Instrumentos Mortais já que é um que apresenta vários seres sobrenaturais de todos os tipos, é de fácil leitura e tem uma história muito boa.

2.7 Literatura infantil – Diário de uma Garota Nada Popular

Nikki, de 14 anos, ganhou uma bolsa de estudos para uma escola particular de prestígio. Sua angústia ao lidar com as meninas malvadas do colégio, a relação com seus pais, sua paixão pelo bonitão da escola e as novas amizades que faz são assuntos registrados em seu diário, ao lado de inúmeros desenhos que ela mesma faz de sua vida. Direcionado principalmente para meninas adolescentes, Diário de uma garota nada popular pode ser considerado uma versão feminina de Diário de um banana.

Todos estão acostumados com Diário de Um Banana. Já teve filme, uma carambada de livros, mas particularmente acho que é uma história mais interessante para meninos. Por isso, sempre gostei muito de Diário de Uma Garota Nada Popular. Por muito tempo esse livro ficou na cabeceira da minha cama e eu lia sempre que tinha vontade. Na época, eu não tinha muito costume de ler, mas volta e meia pegava esse e lia inteiro em apenas algumas horas.

2.8 New Adult – O Verão que Mudou Minha Vida

Da mesma autora da série Para todos os garotos que já amei A vida de Isabel Conklin é marcada pelas férias de verão. As outras estações do ano são como um intervalo, dias que passam lentamente enquanto ela espera que o sol lhe traga de volta o que mais ama: o mar, descanso, diversão e, principalmente, Conrad e Jeremiah Fisher. Os garotos da família Fisher sempre estiveram ao lado de Belly em suas aventuras. Conrad é ousado, sombrio, inteligente. Já Jeremiah, é confiável, engraçado, espontâneo. Mesmo sendo tão diferentes, os três constroem uma amizade que parece inabalável. Apenas parece. Tudo muda quando, em uma dessas férias, Conrad demonstra sentir algo por ela. O problema é que Jeremiah faz o mesmo. À medida que os anos passam, Belly sabe que precisará escolher entre os dois e encarar o inevitável: ela vai partir o coração de um deles. Na trilogia Verão, acompanhamos Belly dos 15 aos 24 anos. Em meio a descobertas e mudanças, ela se apaixona, se envolve em um triângulo amoroso, entra na universidade e descobre que amadurecer também significa tomar decisões difíceis. Primeiros romances jovens de Jenny Han, os três livros são agora relançados pela Intrínseca, com novas capas e traduções inéditas.

O motivo de eu ter escolhido esse livro é por conta da facilidade de leitura, não pela história. É bem fácil de ler o livro todo, tanto que eu fiz isso em praticamente uma noite, mas a história não é lá aquelas coisas. Acho que vale quando você quer apenas passar tempo e não quer nada muito pesado.

2.9 Realismo mágico – Game of Thrones

Em A guerra dos tronos, o primeiro livro da aclamada série As crônicas de gelo e fogo, George R. R. Martin cria uma verdadeira obra de arte, trazendo o melhor que o gênero pode oferecer. Mistério, intriga, romance e aventura alternam-se nas páginas deste livro, agora também um seriado de sucesso da HBO! A guerra dos tronos é a mais importante obra de fantasia desde que Bilbo encontrou o anel. – SF Reviews De um dos maiores mestres da fantasia surge um épico magistral, poderoso como você jamais viu. A Guerra dos Tronos Em uma terra onde o verão pode durar décadas e o inverno toda uma vida, os problemas estão apenas começando. O frio está de volta e, nas florestas ao norte de Winterfell, forças sobrenaturais se espalham por trás da Muralha que protege a região. No centro do conflito estão os Stark do reino de Winterfell, uma família tão áspera quanto as terras que lhe pertencem. Dos lugares onde o frio é brutal até os distantes reinos de plenitude e sol, George R. R. Martin narra uma história de lordes e damas, cavaleiros e mercenários, assassinos e bastardos, que se juntam em um tempo de presságios malignos. Entre disputas por reinos, tragédias e traições, vitória e terror, o destino dos Stark, seus aliados e seus inimigos é incerto. Mas cada um está se esforçando para ganhar este conflito mortal: a guerra dos tronos.

Enquanto na categoria anterior priorizei a escrita, aqui priorizei a história. Todo mundo assistiu pelo menos um episódio da série e a grande maioria gosta muito. Assim, por mais que a escrita não seja tão simples assim, os personagens e a forma como a história é construída faz com que o leitor não consiga parar de ler até terminar.

2.10 Romance

2.10.1 Romance Adulto – Garota do Calendário

Fenômeno editorial nos Estados Unidos com mais de 3 milhões de cópias vendidas. Mia Saunders precisa de dinheiro. Muito dinheiro. Ela tem um ano para pagar o agiota que está ameaçando a vida de seu pai por causa de uma dívida de jogo. Ela precisa de um milhão de dólares. A missão de Mia é simples: trabalhar como acompanhante de luxo na empresa de sua tia e pagar mensalmente a dívida. Um mês em uma nova cidade com um homem rico, com quem ela não precisa transar se não quiser? Dinheiro fácil. Parte do plano é manter seu coração selado e os olhos na recompensa. Ao menos era assim que deveria ser… Em janeiro, Mia vai conhecer Wes, um roteirista de Malibu que vai deixá-la em êxtase. Com seus olhos verdes e físico de surfista, Wes promete a ela noites de sexo inesquecível — desde que ela não se apaixone por ele.

Acho que não preciso explicar muito sobre esse gênero. Não é para menores de idade e já digo que você não pode esperar uma história muito grandiosa. O motivo para eu ter escolhido A Garota do Calendário é porque tem um certo contexto e os personagens são interessantes, mas volto a dizer, não espere uma obra de arte desse tipo de livro.

2.10.2 Romance Contemporâneo – Para Todos os Garotos que já Amei

Lara Jean guarda suas cartas de amor em uma caixa azul-petróleo que ganhou da mãe. Não são cartas que ela recebeu de alguém, mas que ela mesma escreveu. Uma para cada garoto que amou — cinco ao todo. São cartas sinceras, sem joguinhos nem fingimentos, repletas de coisas que Lara Jean não diria a ninguém, confissões de seus sentimentos mais profundos.Até que um dia essas cartas secretas são misteriosamente enviadas aos destinatários, e de uma hora para outra a vida amorosa de Lara Jean sai do papel e se transforma em algo que ela não pode mais controlar.

Mais contemporâneo que Para Todos os Garotos que já Amei, impossível. Por mais que o segundo filme tenha decepcionado muito, os três livros são muito bons e valem muito a pena a leitura.

2.10.3 Romance de Época – Os Bridgertons

Simon Basset, o irresistível duque de Hastings, acaba de retornar a Londres depois de seis anos viajando pelo mundo. Rico, bonito e solteiro, ele é um prato cheio para as mães da alta sociedade, que só pensam em arrumar um bom partido para suas filhas.Simon, porém, tem o firme propósito de nunca se casar. Assim, para se livrar das garras dessas mulheres, precisa de um plano infalível.É quando entra em cena Daphne Bridgerton, a irmã mais nova de seu melhor amigo. Apesar de espirituosa e dona de uma personalidade marcante, todos os homens que se interessam por ela são velhos demais, pouco inteligentes ou destituídos de qualquer tipo de charme. E os que têm potencial para ser bons maridos só a veem como uma boa amiga.A ideia de Simon é fingir que a corteja. Dessa forma, de uma tacada só, ele conseguirá afastar as jovens obcecadas por um marido e atrairá vários pretendentes para Daphne. Afinal, se um duque está interessado nela, a jovem deve ter mais atrativos do que aparenta.Mas, à medida que a farsa dos dois se desenrola, o sorriso malicioso e os olhos cheios de desejo de Simon tornam cada vez mais difícil para Daphne lembrar que tudo não passa de fingimento. Agora ela precisa fazer o impossível para não se apaixonar por esse conquistador inveterado que tem aversão a tudo o que ela mais quer na vida.Primeiro dos oito livros da série Os Bridgertons, O duque e eu é uma bela história sobre o poder do amor, contada com o senso de humor afiado e a sensibilidade que são marcas registradas de Julia Quinn, autora com 10 milhões de exemplares vendidos.

Novamente, uma série que eu amo. Os Bridgertons foi a série que me iniciou no mundo dos romances de época. A leitura é bem simples, muito engraçada e, por mais que a segunda metade da série seja um tanto controversa e que enquanto algumas pessoas amam, outras simplesmente odeiam, os quatro primeiros livros são simplesmente maravilhosos. Deixo aqui meu eterno amor por Anthony Bridgerton <3.

2.11 Sick-lit – Inventei Você?

Alex está no último ano do ensino médio e trava uma batalha diária para diferenciar realidade de ilusão. Armada com uma atitude implacável, sua máquina fotográfica, uma Bola 8 Mágica e sua única aliada ― a irmã mais nova ―, ela declara guerra contra sua esquizofrenia, determinada a permanecer sã o suficiente para entrar na faculdade. E Alex está bem otimista com suas chances, até se deparar com Miles. Será mesmo aquele garoto de olhos azuis com quem ela compartilhou um momento marcante no passado? Mas ele não tinha sido produto da sua imaginação? Antes que possa perceber, Alex está fazendo amigos, indo a festas, se apaixonando e experimentando todos os ritos de passagem tipicamente adolescentes. O problema é que ela não está preparada para ser normal.

A parte mais legal desse livro é ficar tentando descobrir se Miles e todo o resto realmente existe ou se é apenas uma invenção da Alex. Tanto que eles até mostram no final como esse tipo de coisa realmente traz problemas para a vida da pessoa que sofre com esse tipo de doença. Enquanto as coisas giravam em torno de seguranças no topo de prédios e em um possível namorado imaginário, estava tudo bem, até que algumas revelações e alguns acidentes já torna o livro bem mais sério.

2.12 Thriller

2.12.1 Thriller da Conspiração – Sherlock Holmes – Um Estudo em Vermelho

Publicado originalmente em 1887, Um estudo em vermelho chegou a ser considerado uma espécie de “livro do Gênesis” para os casos de Sherlock Holmes, pois marca não só a primeira aparição pública do detetive mais popular da literatura universal como o primeiro encontro entre Holmes e Watson. Ao buscar conhecer melhor seu novo amigo, em pouco tempo Watson vê-se envolvido numa história sinistra de vingança e assassinato…

Se não me engano, a resenha desse livro foi meu primeiro post aqui no blog. O livro é bem curtinho e pode ser lido bem rápido, o que é ótimo para aqueles que não possuem o hábito de ler. Na verdade, qualquer um dos livros do Sherlock Holmes poderia ser citado aqui, mas como tive que escolher apenas um…

2.12.2 Thriller de Época – O Assassinato de Roger Ackroyd

Em uma noite de setembro, o milionário Roger Ackroyd é encontrado morto, esfaqueado com uma adaga tunisiana – objeto raro de sua coleção particular – no quarto da mansão Fernly Park na pacata vila de King’s Abbott. A morte do fidalgo industrial é a terceira de uma misteriosa sequência de crimes, iniciada com a de Ashley Ferrars, que pode ter sido causada ou por uma ingestão acidental de soníferos ou envenenamento articulado por sua esposa – esta, aliás, completa a sequência de mortes, num provável suicídio. Os três crimes em série chamam a atenção da velha Caroline Sheppard, irmã do dr. Sheppard, médico da cidade e narrador da história. Suspeitando de que haja uma relação entre as mortes, dada a proximidade de miss Ferrars com o também viúvo Roger Ackroyd, Caroline pede a ajuda do então aposentado detetive belga Hercule Poirot, que passava suas merecidas férias na vila. Ameaças, chantagens, vícios, heranças, obsessões amorosas e uma carta reveladora deixada por miss Ferrars compõem o cenário desta surpreendente trama, cujo transcorrer elenca novos suspeitos a todo instante, exigindo a habitual perspicácia do detetive Poirot em seu retorno ao mundo das investigações. O assassinato de Roger Ackroyd é um dos mais famosos romances policiais da rainha do crime.

Como a Agatha Christie é a rainha quando se trata desse tipo de livro, não tinha como não cita-la aqui. Eu escolhi aquele que me iniciou nesse mundo e que me fez colocar como meta ler todos os livros dela.

2.12.3 Thriller Policial – O Assassinato no Expresso do Oriente

Nada menos que um telegrama aguarda Hercule Poirot na recepção do hotel em que se hospedaria, na Turquia, requisitando seu retorno imediato a Londres. O detetive belga, então, embarca às pressas no Expresso do Oriente, inesperadamente lotado para aquela época do ano.O trem expresso, porém, é detido a meio caminho da Iugoslávia por uma forte nevasca, e um passageiro com muitos inimigos é brutalmente assassinado durante a madrugada. Caberá a Poirot descobrir quem entre os passageiros teria sido capaz de tamanha atrocidade, antes que o criminoso volte a atacar ou escape de suas mãos.

Assim como no gênero anterior, Agatha também é uma referência nesse. Esse livro conta com um final completamente inesperado. Você passa o livro inteiro acreditando que uma pessoa é o assassino e, quando vê, percebe que é alguém totalmente diferente.

2.13 Young Adult – Três Coisas Sobre Você

Setecentos e trinta e três dias depois da morte da minha mãe, 45 dias após o meu pai fugir para se encontrar com uma estranha que ele conheceu pela internet, 30 dias depois de a gente se mudar para a Califórnia e apenas sete dias após começar o primeiro ano do ensino médio numa escola nova onde conheço aproximadamente ninguém, chega um e-mail. Deveria ser no mínimo esquisito, uma mensagem anônima aparecer do nada na minha caixa de entrada, assinada com o bizarro nome Alguém Ninguém. Só que nos últimos tempos a minha vida tem estado tão irreconhecível que nada mais parece chocante… **** tenho observado você no colégio. não de modo doentio, mas agora me pergunto: será que o simples fato de eu ter usado a palavra “doentio”, por definição, me torna doentio? de qualquer forma, acontece que… você me intriga. já deve ter notado que a nossa escola é um mundo vasto de Barbies e Kens, quase todos louros e de olhos vazios, e alguma coisa em você – no seu jeito de andar, falar e na verdade não falar, apenas observar a todos nós como se fizéssemos parte de um documentário bizarro do National Geographic – me faz pensar que você pode ser diferente de todos os idiotas da escola. eu fico com vontade de saber o que se passa nessa sua cabeça. vou ser sincero: não costumo me interessar pelo que há na cabeça dos outros. a minha já dá trabalho suficiente. o objetivo deste e-mail é oferecer meus conhecimentos. desculpe ser o portador de más notícias: não é fácil se orientar nos territórios ermos do colégio Wood Valley. o lugar pode parecer caloroso e receptivo, com a ioga, a meditação, os cantinhos de leitura e o carrinho de café (desculpe: o Karrinho de Kafé), mas, como todos os outros colégios do ensino médio (ou de um jeito até pior), é uma droga de uma zona de guerra. por isso me ofereço como o seu guia espiritual virtual. sinta-se livre para fazer qualquer pergunta (a não ser, claro, sobre a minha identidade), e vou me esforçar ao máximo para responder a você: com quem fazer amizade (lista curta), de quem manter distância (lista maior), por que não se deve comer o hambúrguer vegetariano do refeitório (longa história, você nem vai querer saber), como tirar 10 na prova da Sra. Stewart e por que você nunca deve se sentar perto do Ken Abernathy (problema de flatulência). ah, e tenha cuidado na aula de educação física. o Sr. Shackleman faz todas as garotas bonitas darem voltas extras pela quadra para poder olhar a bunda delas. parece informação suficiente por enquanto. e, só para constar, bem-vinda à selva. atenciosamente, Alguém Ninguém.

Novamente temos um romance clichê. Esse é mais indicado para aqueles que estão na escola, no início da adolescência já que esse livro fala exatamente sobre essa idade, mas mesmo assim, pessoas um pouco mais velhas podem gostar também. Só sei que gostei muito quando li e me deu uma certa vontade de ler novamente agora que fiquei relembrando da história.

um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: