Resenhas

RESENHA: Destinado (Perdida #3), de Carina Rissi

Saiba minha opinião sobre o terceiro volume da série Perdida: Destinado!

Livro: Destinado (Série Perdida #3)

Autora: Carina Rissi.

Páginas: 462.

Editora: Verus.

Lido em: 4 dias.

Skoob

 

Sinopse:

Ian Clarke é um homem de sorte e sabe muito bem disso. Ele encontrou a felicidade que tanto almejava ao lado de sua amada (e complicada) Sofia. Não que tenha sido fácil mas o que é simples quando o assunto é sua esposa? O destino tem sido gentil, e por essa razão Ian se esforça tanto para ser um bom marido, um bom pai, um bom irmão.
Entretanto sua felicidade começa a ruir no baile de aniversário de sua irmã, Elisa. Ian assiste, impotente, enquanto sua vida perfeita se transforma em uma terrível catástrofe. A noite é desastrosa, e Elisa, a menina que ele jurou proteger, se torna alvo de um escândalo.
Mas o pior ainda está por vir. Um assunto do passado, um pesadelo que há muito o persegue, retorna para assombrá-lo. Aterrorizado com a possibilidade de perder Sofia outra vez, Ian segue seu coração na tentativa de proteger a mulher que ama, sem se importar com as consequências. Ele só não suspeitava de que o preço a pagar seria tão alto…
Em Destinado: as memórias secretas do sr. Clarke, os leitores vão conhecer um novo capítulo da arrebatadora história de amor de Ian e Sofia desta vez pela perspectiva desse cavalheiro que conquista corações por onde passa.

Depois de muito criticar e até ter me desanimado com as continuações da série, preciso dizer que esse terceiro volume de Perdida me surpreendeu.

Ele é diferente e deu uma nova identidade à série, o que estava precisando.

Um ponto a já se exaltar é o fato da estória ter sido narrada pelo Ian, a narrativa se tornou muito mais madura e a Sofia até ficou mais suportável aos meus olhos. Não temos mais aquelas divagações bestas de uma personagem tola, Ian é um homem íntegro e muito, muito fofo que merece o mundo! Esse livro só serviu para eu me apaixonar ainda mais por ele, muito lindo, meu Deus!

E Carina também me surpreendeu, porque quando ouvi falar desse livro, pensei que seria os mesmos acontecimentos dos livros anteriores narrados por ele, mas não. É um enredo novo em que vez ou outra vemos, sim, cenas antigas sendo mostradas e achei bem legal isso, ela não recorreu a artifícios manjados para ganhar mais dinheiro, teve um esforço e criatividade por trás.

Aliás, que enredo. Achei super interessante. A princípio não sabia exatamente onde íamos parar, mas fui aprovando conforme novas situações foram se mostrando. Tem algumas situações que, ao meu ver, foram alongadas ao máximo pra encher linguiça? Tem sim, porém não foi algo gritante como no segundo volume, aqui dava para entender essa leve enrolação.

A escrita da Carina é excelente, disso eu nunca reclamei, e ornou muito bem com esse novo clima da série, que ainda tem seus momentos pastelões como qualquer chick-lit, mas no geral também flerta com outros gêneros mais maduros, como ficção científica!

Laura, a amiga que eu cito aqui de vez em sempre, tinha me falado que essa obra teria um lado meio ficção científica e eu não compreendia como isso seria feito, ficava pensando que a autora acabaria se perdendo, mas não é o que aconteceu. Temos alguns furos se considerarmos linha temporal (farei uma parte com spoilers na resenha para comentar sobre isso), as regras que a própria inventou para o seu mundo, no entanto, há de se admirar que ela saiu da zona de conforto e, mesmo com defeitinhos, conseguiu lograr. Foi um bom trabalho que superou minhas expectativas e até cumpriu mais do que prometeu.

Achei a sacada do Ian perdendo parte da memória aos poucos muito intrigante e eu não consegui entender aquilo até ele explicar, o que é muito raro, eu sempre deduzo antes de precisar de um diálogo expositivo, então gostei de ser surpreendida. Da mesma forma com toda a questão de Elisa e o fatídico acontecimento a envolvendo, ainda quero saber mais daquele Alexander, espero que ele não seja deixado de lado, porque várias lacunas ficaram abertas mesmo depois que descobrimos a verdade.

Agora falemos dos personagens secundários? Não temos tantos e eu nem posso falar muito, porque quem não leu e não sabe nada provavelmente não vai gostar de spoiler, hahaha, mas resumindo, adorei ver figuras antigas em uma nova forma e em circunstâncias tão bizarras.

Enfim, gente, consegui gostar desse livro de uma forma que não imaginava e ele até me deixou ansiosa para conhecer o resto da série. É inegável que o problema dessa série é a Sofia, desculpa quem gosta aí, mas se aliviasse um pouco a personalidade intragável dela, como foi nesse volume, já melhoraria 70% da obra, de verdade. E acho que a Carina precisa se arriscar em novos gêneros, eu dei apenas um riso durante a leitura e olha que se forçasse mais para ser engraçado em algumas partes, cagava. Aqui ela flerta com drama e eu achei muito melhor, nossa senhora. Odeio situações e reações forçadas, tem que ser engraçado de uma forma natural, o que, na minha singela opinião, Carina não consegue fazer em forma de narrativa.

Mas, diferente da comédia, a autora tem jeito pra drama, porque eu fiquei até levemente emocionada em determinada parte no final e acredito que ela deva investir nisso, com certeza vale a pena arriscar e sair desse abismo de chick-lit que a escritora vive.

4 estrelas

Agora vamos falar com spoiler.

Aquela parte do meio para o final em que Ian e Sofia descobrem que se eles continuassem mais tempo, Ian teria se casado com Valentina e Eliza com Thomas não faz o menor sentido. Porque se fosse para ser assim e, teoricamente, Sofia nunca ter aparecido na vida de Ian, não era para Rafa, descendente deles, existir, sendo que ele existe e aparece bastante, sem muitos problemas, além daquele de saúde que, ao menos pelo o que o livro mostrou, não tem a ver com essa questão de viagem do tempo.

Seguindo a lógica que a própria Carina estipulou, assim que eles pisassem no futuro era para o personagem simplesmente evaporar, na verdade. Por isso eu considerei um furo. Seria triste não ter Rafa ali? Seria, porque gostei das participações dele, especialmente da relação que ele criou com Ian, mas quem propôs a viagem do tempo nessa forma foi a autora, então… Bem… Dá para dizer que ela se perdeu no mundo que criou, mesmo sendo um deslize leve que forçando eu consigo perdoar (um pouco só).

 

[Meu Skoob para quem quer estar por dentro de minhas próximas leituras]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: