Resenhas

RESENHA: Sob a Luz da Lua (Nightshades)

Calla Thor não é uma menina normal, e sempre soube qual seria seu destino. Depois de formada pela Mountain School, ela deveria se unir a Ren Laroche, prometendo-lhe ser fiel e companheira até o último dia de suas vidas… Só que Calla, assim como Ren, é tão humana quanto loba. Alfa dos Nightshades, ela é responsável pelo bem estar e segurança dos outros integrantes de sua alcateia e deve obediência aos Defensores, feiticeiros que vigiam os humanos desde tempos imemoriais. Tudo deveria seguir como planejado: os destinos de Calla e Ren, alfa da matilha dos Banes, sempre estiveram ligados. Mas ela desrespeita todas as regras ao salvar um humano à beira da morte, desafiando as ordens de seus mestres e sua própria sorte. Ao se envolver com Shay, Calla assume o risco de revelar os segredos de sua espécie, arriscando a vida e traindo seus companheiros. O amor proibido de Calla e Shay fará com que ela questione seu futuro, sua existência e o mundo que conheceu até agora. Ao seguir o coração, Calla pode pôr tudo a perder — inclusive sua vida. Algum amor vale tamanho sacrifício?

E aqui estou eu, fazendo resenha de livros mais antigunhos. Sob a Luz da Lua é o primeiro livro completamente sobre lobisomens que já li, mas ainda não posso dizer se gostei ou não.

Esse livro foi extremamente machista e, ao que parece, isso é uma característica das histórias de lobisomens já que a organização das matilhas são assim. Não sei se estou certa, espero que não. Vou ler mais alguns do tipo para garantir, mas se realmente for assim, lobisomens não são um assunto do meu gosto.

Enfim, a história em geral foi um grande clichê. A menina que estava prometida para alguém desde pequena, mas que conhece outra pessoa e se apaixona por ela. Na metade do livro já ficava meio obvio o que aconteceria no final, mas eu não me importo, amo clichês.

Gostei de terem abordado vários tipos de casais e que em nenhum momento do livro tenham tratado isso como se fosse algo errado. Só houve um probleminha com o casal homossexual, mas ele foi rapidamente resolvido e não foi tratado como algo estranho.

Só abrindo um parênteses e explicando melhor essa história do casal homossexual. Uma coisa que eu acho horrível sobre o jeito como casais gays ou lésbicos são abordados em séries, filmes e livros é o estardalhaço que criam em cima disso. Querem mostrar como se fosse algo normal (o que de fato é) mas criam uma enorme expectativa para a primeira vez que o casal se beija, o primeiro encontro, isso e aquilo.

Caramba, casais homossexuais são como qualquer outro, não precisa criar uma comoção gigantesca. Basta tratar normalmente. Eu gostei de como o livro abordou o assunto, primeiramente a surpresa de Calla e depois aquela briga no bar, apenas isso. E eu nem acho que a briga ocorreu pelo fato de serem gays, mas sim por serem um casal já que era proibido qualquer tipo de relacionamento antes do casamento.

Outro casal era Ansel e Bryn. Para quem não se tocou, Ansel é mais dois ou três anos mais novo que Bryn. Eu não tenho problema nenhum com isso, mas sei que muita gente tem. Novamente, é tratado como algo completamente normal. Eu amei isso no livro.

E agora vamos falar do maldito machismo que foi o único motivo para eu dar uma nota 3 para esse livro. Eu amava Shay e Ren no começo, mas aquelas disputas dos dois foram completamente ridículas. Em outras narrativas, quando existia um triângulo amoroso e os dois caras estavam disputando a garota, os dois tentavam conquista-la. Aqui não. Em Sob a Luz da Lua, a única coisa que temos é um alfinetando o outro e tratando Calla como um troféu.

Ren não chegava aos pés do pai no quesito machismo, mas ele era e muito e se achava o superior por ser um lobo alfa. Ele ficava constantemente fazendo graça por Calla estar se aproximando de um humano. Grande coisa. Fora, é claro, a cena ridícula em que ele fez Calla dar sua cadeira para Shay e puxa-la para seu colo. O pior de tudo é que ela teve que aceitar tudo de boca fechada.

Mas Shay também não fica para traz. Ele não tentava conquistar Calla, mas sim tentava fazer ela desistir de Ren. Mas mesmo com tudo isso, Calla podia fazer o que quisesse com ele e ele aceitava. Que pessoa leva um tapa na cara e age como se isso fosse normal? Pior que um relacionamento entre Calla e Ren só poderia ser um relacionamento entre Calla e Shay.

Eu imagino que muitas pessoas devem ter amado os dois, pelo menos Shay, mas eu não. Aceitei o fato de os dois (ele e Calla) terem se apaixonado mesmo se conhecendo havia tão pouco tempo, mas não posso aceitar um relacionamento que seria abusivo por parte dos dois.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: