Resenhas

A problemática de After.

Problematizando os pontos discutíveis de After.

Por diversos motivos, eu pensava que nunca na minha vida leria After. Era ciente das polêmicas, assim como do fato de que originalmente era uma fanfic de One Direction (banda que nunca gostei muito) e outras coisas que não me instigavam a ler.

Mas eis que a adaptação foi lançada, e eu estava curiosíssima para ver como as polêmicas seriam tratadas nesta, um pouco antes de conseguir ir, vi uma postagem no Instagram da queridíssima @somaisumapaginabooks (sigam) falando sobre o filme e nós conversamos nos comentários, onde ela falou a opinião dela quanto aos dois materiais, alegando que era interessante eu ler o livro. Optei por assistir a adaptação antes, e de certo modo, foi uma decisão acertada.

No filme aliviaram extremamente a personalidade de Hardin. Ao extremo mesmo, apesar do filme ser terrível em questão de enredo e pontos técnicos, achei o mocinho e até mesmo a história fofinhos, o que, no fim das contas, fez-me ler o livro.

Hardin é tão escroto que eu precisei ler super lentamente, porque me dava uma ânsia a forma como ele tratava Tessa. Até marquei algumas partes para trazer de discussão aqui.

Para começar:

“E agora então? Vai ficar me evitando por mais uma semana? Nós dois sabemos que no fim de semana você vai estar na minha cama outra vez”, ele retruca.

Nessa parte Tessa ainda acaba ficando brava com ele (o que quase nunca acontece), mas situemos melhor quem não leu ou não lembra dessa parte. Foi quando ela finalmente termina com o Noah em uma cena que assim… Não deu para mim.

Seu namorado de anos está no seu quarto, te esperando depois que você ficou sumida por uma noite inteira, você chega com o cara com quem já traiu ele outras vezes no seu encalço, começa a discutir com os dois, o outro faz uma declaração pífia, forjada, clichê e piegas, então você manda seu namorado e amigo de anos sair do quarto, porque repentinamente uma luz afeta seu cérebro e você percebe que é melhor ser tratada da forma que eu mostrei mais acima do que ter um namorado que te perdoa e apoia em todas as coisas.

Não que eu esteja falando que Tessa tinha a obrigação de ficar com o Noah, é claro que não, mas qualquer pessoa minimamente inteligente percebe a dissonância entre os dois e, mesmo que acabe achando o Noah sem graça por não causar aquela “eletricidade” que ela tanto fala no início do livro, procura um cara legal como ele que também te cause essa eletricidade, simples. Não existem só dois caras no mundo, mano, não consigo entender essa menina!!

E mais:

Por um segundo chego a pensar que ele vai me bater, porém sua mão desliza pelo meu queixo e ajeita uma mecha de cabelo […]

O homem vai meramente ajeitar o seu cabelo e só com isso você já deduz que pode apanhar devido à deveras agressividade que ele aspira a cada instante de existência e está tudo bem, você continua tentando ser amiga e termina por ser sua namorada?! Está errado!!

No final das contas, tanto Hardin quanto Tessa acabam por ser um problema. Ele é abusivo, tóxico, ela é muito manipulável, idiota e chorona. Gente, tinha que ser fanfic mesmo pra personagem chorar tanto assim, não sei como tem tantas lágrimas para soltar essa desgraça, pelo amor de Deus, por tudo estava chorando!! Dava pra matar a sede de metade de um país com todas as lágrimas dessa menina, caralho.

Os dois têm claros problemas, Tessa tem um nítido desiquilíbrio emocional, além de um TPD (Transtorno de personalidade dependente), enquanto Hardin para mim é um típico caso de bipolaridade em grau alto com um narcisismo elevado e preocupante. Pessoas assim precisam de tratamento!!! E nem pensar podem se relacionar uma com a outra, porque um é desequilibrado e a outra é dependente, sabemos onde casos assim, na maioria das vezes, acaba.

Ver essa coisa romantizada é alarmante, gente. Ainda bem que a maioria das pessoas consegue perceber a problemática disso tudo e passa adiante. Ouvi falar que a autora trabalha melhor esse tópico nos próximos livros, mas assim gente, como eu falei com a @somaisumapaginabooks, para uma pessoa que tem relacionamento abusivo como gatilho, um livro só já basta para afetá-la, na verdade eu diria que um capítulo disso aqui já basta, porque eu me senti muito perturbada lendo, a Tessa é muito passiva, não dá para aceitar em pleno século XXI, com tantas mulheres reais e fictícias empoderadas, termos uma garota que não se impõe, que aceita ser tratada como lixo e humilhada só porque tem tesão por um cara. É incabível e inviável.

Ela sente culpa quando Hardin age de forma abusiva e bate em outras pessoas, alegando que ele só perdeu a cabeça por causa dela. Não é assim que funciona, por favor! Nenhuma ação de qualquer mulher dá a razão a um homem para bater em outro, a culpa é dele por ser desequilibrado e por não procurar tratamento, nunca sigam essa linha de pensamento da Tessa, meninas que estiverem lendo esse artigo.

Se tudo isso não fosse suficiente… Em outra parte, Hardin assume que meio que persegue Tessa. Sério, vejam esse trecho:

“Vamos até chegar quinze minutos mais cedo, para você ter tempo de parar no café e encontrar Landon”, ele diz, deixando-me boquiaberta.

“Como você sabe disso?”

“Eu fico de olho em você… Quer dizer, não o tempo todo. Mas sei mais do que você imagina”, ele diz, e meu coração acelera. Estou me apaixonando por ele – muito e bem depressa.

O cara assume que te stalkeia e você sente que está se apaixonando? Meu coração realmente aceleraria, mas de medo! A pessoa já tem um quadro conhecido de instabilidade e agressividade, como diabos alguém consegue se apaixonar por outrem desse tipo, logo depois de admitir uma perseguição ainda?! Incompreensível para mim, de verdade.

Tudo nesse livro é problemático, os personagens são terríveis e mal trabalhados, o enredo é tão sem sal e clichê, sem inovação nenhuma, até mesmo a escrita não achei tão boa quanto dizem. É agradável, não nego que há um talento ali, mas fica claro que também há um alto nível de amadorismo em cada detalhe descrito.

O final é sem comentários, eu não tenho palavras para descrever o quanto abominei as atitudes de Hardin, mesmo sabendo o que ele tinha feito pelos spoilers que fui atrás, senti-me enojada lendo no livro. É de um mau caratismo nojento, agir dessa forma devia ser codificado, porque olha… Que nojo. Nojo, nojo, nojo.

Tenho dó do Harry Styles por ter sido representado dessa forma, e quanto a Tessa… Ela não merece carregar o mesmo nome da minha protagonista. Fiquei super chateada quando vi que uma personagem tão sonsa estava sujando esse nome incrível.

Para finalizar esse post, deixarei um link com os passos para reconhecer um relacionamento abusivo, é sempre importante saber para conseguir se salvar, pedir ajuda se algum dia for necessário, ou até mesmo auxiliar alguém. Mais informações, clique aqui.

[Meu Skoob para quem quer estar por dentro de minhas próximas leituras]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: