Listas

Livros para começar a ler

Todos nós estamos cansados de saber dos benefícios da leitura, mas eu sei como é difícil começar. Eu costumava ler bastante quando criança, mas fiquei um bom tempo sem. No meu caso, fui na Bienal do Livro e me incentivou muito, mas eu sei como é difícil.

Claro que você não precisa seguir essa lista, muito menos essa ordem. Você pode escolher os livros de acordo com seu interesse. Os livros que escolhi aqui são para aqueles que gostam de livros de ficção, sem histórias reais no meio. Algumas são mais contemporâneas, mas não são histórias que de fato aconteceram.

O importante para escolher o livro é que seja uma história não muito pesada, mas que te prenda. Se for algo que te faça chorar toda hora, que te deixe tenso, simplesmente não dará certo no começo, muito menos se a história for chata.

Como sempre, os títulos coloridos são links para outros posts, então clique se quiser saber um pouco mais sobre.

O Duque e Eu

IMG_1587

“Julia Quinn é nossa Jane Austen contemporânea.” – Jill Barnett “Inteligente e divertido.” – revista Time Simon Basset, o irresistível duque de Hastings, acaba de retornar a Londres depois de seis anos viajando pelo mundo. Rico, bonito e solteiro, ele é um prato cheio para as mães da alta sociedade, que só pensam em arrumar um bom partido para suas filhas. Simon, porém, tem o firme propósito de nunca se casar. Assim, para se livrar das garras dessas mulheres, precisa de um plano infalível. É quando entra em cena Daphne Bridgerton, a irmã mais nova de seu melhor amigo. Apesar de espirituosa e dona de uma personalidade marcante, todos os homens que se interessam por ela são velhos demais, pouco inteligentes ou destituídos de qualquer tipo de charme. E os que têm potencial para ser bons maridos só a veem como uma boa amiga. A ideia de Simon é fingir que a corteja. Dessa forma, de uma tacada só, ele conseguirá afastar as jovens obcecadas por um marido e atrairá vários pretendentes para Daphne. Afinal, se um duque está interessado nela, a jovem deve ter mais atrativos do que aparenta. Mas, à medida que a farsa dos dois se desenrola, o sorriso malicioso e os olhos cheios de desejo de Simon tornam cada vez mais difícil para Daphne lembrar que tudo não passa de fingimento. Agora ela precisa fazer o impossível para não se apaixonar por esse conquistador inveterado que tem aversão a tudo o que ela mais quer na vida. Primeiro dos oito livros da série Os Bridgertons, O duque e eu é uma bela história sobre o poder do amor, contada com o senso de humor afiado e a sensibilidade que são marcas registradas de Julia Quinn, autora com 8 milhões de exemplares vendidos.

****

Quando Simon virou o corredor num canto, ouviu vozes e ficou paralisado. Havia interrompido um encontro de amantes. Que droga. Precisava sair dali sem ser notado. No entanto, quando começou a recuar em silêncio, ouviu algo que chamou sua atenção. – Não. Não? Será que alguma jovem tinha sido levada até o corredor deserto contra sua vontade? Ele não desejava ser o herói de ninguém, mas não poderia ignorar um insulto dessa magnitude. Antes que pudesse emitir qualquer som, porém, a jovem acertou um soco surpreendentemente forte bem no queixo do rapaz que a assediava. Ele desabou no chão, agitando os braços no ar de forma cômica. Simon ficou parado no lugar, assistindo incrédulo à garota cair de joelhos. – Ah, puxa – disse ela. – Nigel, você está bem? Eu não tive a intenção de bater tão forte. Simon riu. Não conseguiu evitar. A garota olhou para cima, assustada. Ele ficou sem ar. Até então ela estivera oculta nas sombras, e tudo o que ele havia conseguido discernir de sua aparência tinham sido os cabelos fartos e escuros. Mas agora, quando ela levantou a cabeça para encará-lo, Simon constatou que tinha olhos grandes, também escuros, e a boca mais larga e exuberante que ele já vira. Seu rosto em formato de coração não era bonito segundo os padrões da sociedade, mas alguma coisa nele o deixou sem fôlego.

Não tinha como eu não colocar esse aqui já que foi o meu livro introdutório aos romances de época. O casal é maravilhoso, todos os personagens são muito bons e é super engraçado.

Para quem leu “romance de época” e já sentiu vontade de pular esse, dê uma chance. Eu também tinha um certo preconceito, mas vale a pena quando você lê o livro certo. Todos os gêneros possuem livros chatos e bons, então é só procurar que um dia você acha algo do seu gosto.

Harry Potter

IMG_3669

Harry Potter é um garoto cujos pais, feiticeiros, foram assassinados por um poderosíssimo bruxo quando ele ainda era um bebê. Ele foi levado, então, para a casa dos tios que nada tinham a ver com o sobrenatural. Pelo contrário. Até os 10 anos, Harry foi uma espécie de gata borralheira: maltratado pelos tios, herdava roupas velhas do primo gorducho, tinha óculos remendados e era tratado como um estorvo. No dia de seu aniversário de 11 anos, entretanto, ele parece deslizar por um buraco sem fundo, como o de Alice no país das maravilhas, que o conduz a um mundo mágico. Descobre sua verdadeira história e seu destino: ser um aprendiz de feiticeiro até o dia em que terá que enfrentar a pior força do mal, o homem que assassinou seus pais. O menino de olhos verde, magricela e desengonçado, tão habituado à rejeição, descobre, também, que é um herói no universo dos magos. Potter fica sabendo que é a única pessoa a ter sobrevivido a um ataque do tal bruxo do mal e essa é a causa da marca em forma de raio que ele carrega na testa. Ele não é um garoto qualquer, ele sequer é um feiticeiro qualquer; ele é Harry Potter, símbolo de poder, resistência e um líder natural entre os sobrenaturais. A fábula, recheada de fantasmas, paredes que falam, caldeirões, sapos, unicórnios, dragões e gigantes, não é, entretanto, apenas um passatempo.

Quem não conhece alguém que começou a ler por Harry Potter? O bom dessa série é que ela começa super leve e vai ficando mais madura conforme os livros vão passando. Não só isso, mas os livros começam curtos e vão aumentando, então você passa por todos os tamanhos.

A Seleção

IMG_3009

Para trinta e cinco garotas, a “Seleção” é a chance de uma vida. Num futuro em que os Estados Unidos deram lugar ao Estado Americano da China, e mais recentemente a Illéa, um país jovem com uma sociedade dividida em castas, a competição que reúne moças entre dezesseis e vinte anos de todas as partes para decidir quem se casará com o príncipe é a oportunidade de escapar de uma realidade imposta a elas ainda no berço. É a chance de ser alçada de um mundo de possibilidades reduzidas para um mundo de vestidos deslumbrantes e joias valiosas. De morar em um palácio, conquistar o coração do belo príncipe Maxon e um dia ser a rainha. Para America Singer, no entanto, uma artista da casta Cinco, estar entre as Selecionadas é um pesadelo. Significa deixar para trás Aspen, o rapaz que realmente ama e que está uma casta abaixo dela. Significa abandonar sua família e seu lar para entrar em uma disputa ferrenha por uma coroa que ela não quer. E viver em um palácio sob a ameaça constante de ataques rebeldes. Então America conhece pessoalmente o príncipe. Bondoso, educado, engraçado e muito, muito charmoso, Maxon não é nada do que se poderia esperar. Eles formam uma aliança, e, aos poucos, America começa a refletir sobre tudo o que tinha planejado para si mesma — e percebe que a vida com que sempre sonhou talvez não seja nada comparada ao futuro que ela nunca tinha ousado imaginar.

Esse é ótimo para aqueles que querem algo rápido. Mesmo tendo em torno de 300 páginas, a história é muito leve, então a leitura é muito fácil. É um romance que envolve distopia, relacionamentos familiares problemáticos, casamentos “arranjados” e muitas outras coisas. Para quem gosta de filmes clichês, com certeza vai amar A Seleção.

Percy Jackson

Primeiro volume da saga Percy Jackson e os olimpianos, “O Ladrão de Raios” esteve entre os primeiros lugares na lista das séries mais vendidas do The New York Times. O autor conjuga lendas da mitologia grega com aventuras no século XXI. Nelas, os deuses do Olimpo continuam vivos, ainda se apaixonam por mortais e geram filhos metade deuses, metade humanos, como os heróis da Grécia antiga. Marcados pelo destino, eles dificilmente passam da adolescência. Poucos conseguem descobrir sua identidade. O garoto-problema Percy Jackson é um deles. Tem experiências estranhas em que deuses e monstros mitológicos parecem saltar das páginas dos livros direto para a sua vida. Pior que isso: algumas dessas criaturas estão bastante irritadas. Um artefato precioso foi roubado do Monte Olimpo e Percy é o principal suspeito. Para restaurar a paz, ele e seus amigos – jovens heróis modernos – terão de fazer mais do que capturar o verdadeiro ladrão: precisam elucidar uma traição mais ameaçadora que a fúria dos deuses.

Quem tem entre 17 e 20 anos vai concordar comigo nesse. Quando nós tínhamos uns 13 anos, todo mundo lia Percy Jackson, pelo menos o primeiro livro. O filme é completamente diferente e não se compara à maravilha que são os livros.

O que era muito legal dessa série é que por falar muito de mitologia grega, muita gente passou a pesquisar muito sobre o assunto. Pode parecer besteira, mas isso fez com que muitas crianças e adolescentes desenvolvessem um amor pela história já que começavam a pesquisar e não paravam mais.

Jogos Vorazes

Este livro é o primeiro de uma bem-sucedida trilogia, comercializada para mais de 20 países, A história se passa em uma nação chamada Panem, fundada após o fim da América do Norte. Formada por 12 distritos, é comandada com mão de ferro pela Capital, sede do governo. Uma das formas com que demonstra seu poder sobre o resto do carente país é com os ‘Jogos Vorazes’, uma competição anual transmitida ao vivo pela televisão, em que um garoto e uma garota de 12 a 18 anos de cada distrito são selecionados e obrigados a lutar até a morte. Para evitar que sua irmã seja a mais nova vítima do programa, Katniss se oferece para participar em seu lugar. Vinda do empobrecido Distrito 12, ela sabe como sobreviver em um ambiente hostil. Caso vença, terá fama e fortuna. Se perder, morre. Mas para ganhar a competição, será preciso muito mais do que habilidade. Até onde Katniss estará disposta a ir para ser vitoriosa nos ‘Jogos Vorazes’?

Bom, por mais que eu ame Jogos Vorazes, não indico ele para ser o primeiro, primeiro mesmo. Como eu disse, o ideal para esses livros é que eles sejam um pouco mais leves, coisa que não acontece com Jogos Vorazes.

Porém, depois de ler alguns, já dá para ler Jogos Vorazes numa boa. A política retratada nessa distopia é muito boa, principalmente no último livro, que é meu preferido.

Outra coisa que fez a série ficar muito boa é como os filmes foram bem feitos. E para aqueles que não entenderam muito bem a adaptação, saibam que ler o livro esclarece qualquer dúvida, portanto, leiam os livros!

Para Todos os Garotos que Já Amei

653ead42-feed-4b89-a868-374f491483d9

LARA JEAN GUARDA SUAS CARTAS DE AMOR EM UMA CAIXA AZUL-PETRÓLEO QUE GANHOU DA MÃE.
Não são cartas que ela recebeu de alguém, mas que ela mesma escreveu. Uma para cada garoto que amou — cinco ao todo. São cartas sinceras, sem joguinhos nem fingimentos, repletas de coisas que Lara Jean não diria a ninguém, confissões de seus sentimentos mais profundos.
Até que um dia essas cartas secretas são misteriosamente enviadas aos destinatários, e de uma hora para outra a vida amorosa de Lara Jean sai do papel e se transforma em algo que ela não pode mais controlar.

Gosta de clichê? Leia esse livro. A série ficou muito famosa no ano passado quando saiu o primeiro filme (que também é muito bom) e segue famosa até hoje. Os três livros são muito bons por conta do desenvolvimento do casal principal e do amadurecimento dos personagens que, por ser uma história contemporânea, são muito próximos de pessoas reais, facilitando a identificação com eles.

Sussurro

Nora é uma menina responsável. Aos 17 anos, ela tira boas notas e sempre avisa à mãe aonde vai e o que está fazendo. Nem mesmo garotos a fazem perder o foco nos estudos. Até porque, apesar das tentativas de sua melhor amiga, Vee, de lhe arrumar um pretendente, ela nunca se interessou por ninguém na escola. Pelo menos não até conhecer Patch, seu novo colega na aula de biologia. Ele parece estar em todos os lugares e saber tudo sobre ela. Seu jeito ao mesmo tempo sedutor e perigoso faz com que Nora fique imediatamente intrigada. E encantada.
É então que eventos estranhos começam a acontecer. Um homem usando uma máscara de esqui salta diante de seu carro, seu quarto é invadido e aparentemente alguém está tentando matá-la. Nora não sabe em quem confiar. Quando Vee conhece dois novos rapazes e tenta arranjar um encontro, as coisas só pioram. Nora está assustada a maior parte do tempo. Patch é o da máscara de esqui? Ou será Elliot, o novo garoto com quem Vee quer que ela saia?
Em sua busca por respostas, Nora está prestes a se descobrir no centro de uma batalha ancestral entre seres imortais e anjos caídos – uma disputa que não se resolverá sem sacrifícios.

Eu já falei que quero reler essa série, né? Assim como Percy Jackson, Hush Hush foi uma das primeiras séries que muitas pessoas leram. Fala sobre anjos e nefilins, os personagens são muito bons e você nunca sabe o que esperar dos próximos capítulos, o que é ótimo para aquelas pessoas que não têm o costume de ler ainda.

Academia de Vampiros

img_1586

Esqueça tudo o que você aprendeu sobre vampiros – eles definitivamente não brilham à luz do sol, e vivem em uma sociedade bem mais complexa do que você imagina. Rose e Lissa sabem disso melhor do que ninguém, e viverão cada aventura destes seis livros como se fosse a última. Paixões e vidas em jogo, traições e reviravoltas de tirar o fôlego fazem parte do mundo criado por Richelle Mead e povoado por personagens fortes e irresistíveis.

Não poderia faltar uma história de vampiros aqui. Eu poderia ter substituído AV por Crepúsculo, mas nem os filmes fazem sucesso mais e AV é muito melhor. Não só isso, mas os vampiros não são aqueles com os quais estamos acostumados e o casal principal também é muito bom.

Boa Noite

IMG_3581

O novo livro de Pam Gonçalves Alina quer deixar seu passado para trás. Boa aluna, boa filha, boa menina. Não que tudo isso seja ruim, mas também não faz dela a mais popular da escola. Agora, na universidade, ela quer finalmente ser legal, pertencer, começar de novo. O curso de Engenharia da Computação — em uma turma repleta de garotos que não acreditam que mulheres podem entender de números —, a vida em uma república e novos amigos parecem oferecer tudo que Alina quer. Ela só não contava que os desafios estariam muito além da sua vida social. Quando Alina decide deixar de vez o rótulo de nerd esquisitona para trás, tudo se complica. Além de festas, bebida e azaração, uma página de fofocas é criada na internet, e mensagens sobre abusos e drogas começam a pipocar. Alina não tinha como prever que seria tragada para o meio de tudo aquilo nem que teria a chance de fazer alguma diferença. De uma hora para outra, parece que o que ela mais quer é voltar para casa.

Esse livro entrou nessa lista por vários motivos. É de uma autora brasileira, é super fácil se identificar com os personagens principais, é uma história contemporânea, aborda um assunto super sério e presente atualmente. Eu indico ele para qualquer pessoa que queira dar um incentivo para autores nacionais.

Cidade dos Ossos

Cassandra Clare começou a carreira postando histórias sobre o universo de Harry Potter e Senhor dos anéis em sites de fanfiction. Mesmo navegando entre personagens criados por terceiros, seu talento chamou a atenção da crítica. O prestigioso The Times considerou sua série sobre Harry Potter ‘uma jóia de grande qualidade capaz de aumentar a apreciação das histórias de J. K. Rowling’. Para The Telegraph, sua interpretação de J. R.R. Tolkien é um ‘clássico cult’.Pouco tempo depois, Cassandra passou a usar sua habilidade em heróis, vilões e enredos próprios. Em Cidade dos ossos, primeiro volume da Trilogia Instrumentos Mortais, ela cria uma fantasia urbana, tendo como cenário a Nova York atual. Uma aventura que envolve o mito dos nephilim — homens e mulheres que trazem, em suas veias, o sangue de anjos — e que chegou às listas de mais vendidos do New York Times, onde permaneceu por semanas.Cidade dos ossos nos apresenta Clarissa, uma adolescente típica: aos quase 16 anos mora com a mãe, uma jovem artista viúva. Tem um “tio” postiço, Luke, que de certa forma ocupa o lugar do pai e um melhor amigo, Simon, que nutre por ela uma paixão secreta. Quando Simon e Clary visitam um clube, a menina vê três adolescentes matarem um rapaz. Há, porém, dois grandes problemas: ninguém acha o corpo e apenas ela vê os tais assassinos. Sua vida muda completamente. A mãe é raptada por demônios e ela descobre a existência dos Caçadores das Sombras, guerreiros cuja missão é proteger o mundo que conhecemos de bestas e outras criaturas. Vampiros que saem da linha, lobisomens descontrolados, monstros cheios de veneno? É por aí mesmo. E depois desse primeiro contato com o Mundo de Sombras, e com Jace — um Caçador que tem a aparência de um anjo, mas a língua tão afiada quanto Lúcifer —, Clary nunca mais será a mesma.

Vão ficar muito bravos se eu disser que não terminei? Mas mesmo assim, estou amando. É uma história um pouco mais densa e o livro é grande, mas a linguagem é tão boa e simples que torna a leitura fácil. E a história é legal, fala sobre caçadores de demônios (nada religioso), então sim, indico muito a leitura.

um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: